14.5.22

PROTEÍNA VEGETAL DA ERVILHA É A MAIS NOVA TENDÊNCIA PARA SUBSTITUIR A CARNE

Proteína Isolada de Ervilha na Cerealista Express

Se você excluiu a proteína animal do cardápio, já deve ter investigado tabelas de alimentos para descobrir como obter os mesmos níveis nutricionais em fontes vegetais. Sua conclusão provavelmente foi que os grãos e leguminosas fornecem boa parte das fontes de proteína para a alimentação vegetariana estrita.

No caso dos alimentos sem proteína animal, elaborados em grande escala pelas indústrias, os insumos que substituem a carne são derivados da soja. Para atender às expectativas de consumidores que buscam variações em seus cardápios, o setor alimentício passou a pesquisar fontes alternativas à proteína de soja. O avanço dos estudos resultou no desenvolvimento de concentrados proteicos à base de ervilha.

Saiba quais são os benefícios de incluir a proteína da ervilha na alimentação

A proteína da ervilha concentra aminoácidos como arginina, valina e metionina em quantidades maiores do que as encontradas na soja.

A arginina é um aminoácido que melhora a circulação sanguínea, reduz o risco de arteriosclerose, ataques cardíacos, diminui o colesterol ruim, previne hipertensão arterial, entre outros benefícios.

Os outros dois aminoácidos presentes na proteína da ervilha — a valina e a metionina — regulam o sistema imunológico e o metabolismo. Além disso, a metionina estimula a produção de creatina, que melhora a recuperação muscular e tem propriedades antioxidantes.

Será que engorda?

A proteína da ervilha é constituída de carboidratos complexos, ou seja, sua absorção é mais lenta, não causa picos de insulina o que resulta em níveis menores de glicemia no sangue.

Outra característica importante desse tipo de carboidrato é que a saciedade dura mais tempo. Em outras palavras, a proteína da ervilha é uma opção funcional nas dietas para manutenção ou perda moderada de peso.

Vale ressaltar que a ervilha possui uma quantidade considerável de amido resistente, cujas propriedades assemelham-se às fibras, fator relevante para o controle de glicose.

Rica em fibras alimentares indispensáveis à alimentação saudável

As fibras alimentares também estão presentes na proteína de ervilha. Elas contribuem para a redução dos níveis de colesterol no sangue e melhoram a glicemia em pacientes com diabetes. Seu consumo regular auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares, AVC’s (acidente vascular cerebral) e doenças vasculares periféricas.

As fibras são classificadas em solúveis e insolúveis. As solúveis são dissolvidas em água, formando géis viscosos que hidratam o bolo alimentar pelo estômago e intestino.  As insolúveis não formam géis, mas ajudam no funcionamento do trânsito intestinal.

A alimentação equilibrada e saudável pressupõe a ingestão de pelo menos 30 gramas de fibras que estão presentes em frutas, verduras, legumes, grãos integrais e farelos.

BENEFÍCIOS DE SER VEGETARIANO: 3 DOENÇAS EVITADAS PELO VEGETARIANISMO

Como ser vegano ou vegetariano sem prejuízo à saúde | nutrição | ge

Você já parou para pensar sobre o sofrimento imposto aos animais durante o abate e em questões ambientais (como o desmatamento) causadas pelo consumo excessivo de proteína animal no mundo? Se sim, certamente conhece os benefícios que o vegetarianismo traz para o planeta.

Além do bem-estar global, no entanto ser vegetariano pode ajudar você a prevenir doenças e garantir mais saúde e qualidade de vida.

De acordo com um relatório publicado pela ONU, a Organização das Nações Unidas, 70% das doenças que surgiram nas últimas décadas poderiam ser evitadas se não ingeríssemos produtos de origem aniamal.

Em palavras simples, podemos prevenir uma série de enfermidades e levar uma vida mais saudável apenas cuidando melhor daquilo que colocamos no prato.

Ficou interessado? Então conheça agora algumas doenças das quais você pode escapar ao aderir a uma dieta vegetariana!

1. Doenças cardiovasculares

Um dos maiores benefícios de ser vegetariano é a sensível diminuição dos riscos de contrair cardiopatias, as doenças do coração. Isso porque o consumo de proteína animal ajuda a elevar os níveis de LDL — o chamado colesterol ruim —, o que aumenta o risco de infartos.

Além disso, os adeptos de uma dieta vegetariana também costumam aumentar o consumo de frutas, verduras e legumes, alimentos isentos de colesterol e ricos em antioxidantes, substâncias que reduzem as inflamações, protegendo o coração.

Segundo um estudo científico divulgado pela ADA, a American Dietetic Association, realizado com 76 mil indivíduos, as mortes por infarto são 31% menores em homens vegetarianos e 20% menores em mulheres que seguem a mesma dieta.

2. Diabetes

De acordo com um estudo publicado na revista Cardiovascular Diagnosis And Therapy, manter uma dieta vegetariana pode ajudar também a estabilizar os níveis de açúcar no sangue, prevenindo e controlando a diabetes.

Segundo os pesquisadores, retirar a proteína animal da dieta e optar por uma alimentação mais natural, livre de alimentos muito refinados e processados e baseada em vegetais, é uma excelente alternativa para o tratamento e prevenção da diabetes tipo 2.

Além disso, o vegetarianismo também é útil no controle da pressão arterial. Em média, indivíduos adeptos de uma dieta sem proteína animal apresentam uma redução de 5 a 10 mmHg quando comparados aos onívoros, ou seja, aqueles cuja alimentação vem de fonte tanto animal quanto vegetal.

3. Câncer

Seguir uma dieta vegetariana pode ajudar inclusive a prevenir alguns tipos de câncer. Segundo estudos científicos reunidos pela ADA, indivíduos que não excluíram as proteínas animais do seu cardápio têm um risco 88% maior de contrair câncer de intestino grosso.

Além disso, os não vegetarianos também correm 54% mais risco de contraírem câncer de próstata do que os adeptos de uma dieta livre de proteína animal. Motivos mais do que suficientes para você ficar longe de vez desse tipo de alimento, não é mesmo? Sua saúde agradece!

Gostou de entender um pouco mais sobre os benefícios de ser vegetariano e como você pode evitar uma série de doenças ao excluir a proteína animal do seu cardápio?  Então compartilhe agora mesmo este post em suas redes sociais para que mais pessoas se informem sobre o assunto!

5 MOTIVOS PARA DEIXAR DE COMER FRITURAS

 Alimentação sem gordura: como passar a comer de forma mais light

Além das doenças cardiovasculares, as frituras podem trazer muitos outros danos à saúde, como resistência à insulina e má absorção de nutrientes. Mesmo sabendo de todos os seus malefícios, fica difícil resistir ao pastel de feira e batata frita.

Agora, se pesarmos os prós e contras, seus malefícios pendem a balança para baixo e por isso temos uma listinha de cinco motivos para abandonarmos os alimentos fritos para ontem.

1. Pode causar diabetes

O consumo de alimentos fritos leva à resistência a insulina, hormônio que controla as taxas de glicose no sangue. A resistência insulínica é quando a insulina que circula no sangue não exerce sua atividade de forma plena.  As principais consequências são cansaço, mal-estar, dores de cabeça, falta de energia e, em alguns casos, o desenvolvimento do diabetes. 

2. Aumenta as chances de doenças cardiovasculares

Quando os óleos utilizados para fritar alimentos são submetidos a alta temperatura, as características químicas dos mesmos são alteradas, transformando-os em gorduras saturadas que, frequentemente, se acumulam nos vasos sanguíneos e entopem as artérias. Esse acúmulo impede a passagem do sangue ao coração, o que pode causar um infarto ou um AVC (Acidente Vascular Cerebral), caso o sangue fique impedido de chegar ao cérebro.

3. É a principal inimiga de uma alimentação com baixo valor calórico

Para quem deseja emagrecer, excluir as frituras do cardápio é o primeiro passo. Além dos malefícios à saúde, o acúmulo de gordura abdominal e o aumento de peso são consequências de seguir um cardápio que prioriza a ingestão de opções fritas. 

4. Causa a perda de nutrientes nos alimentos

Quando um alimento é colocado em óleo, seja ele vegetal ou animal, a uma alta temperatura, ele se desidrata e perde nutrientes, principalmente substâncias antioxidantes como as vitaminas. Por isso, além de mais calóricos, os alimentos fritos são menos nutritivos.

5. Contribui para o envelhecimento

O consumo de gordura saturada, presente nas frituras, é um fator que contribui para o aumento da produção de radicais livres em nosso organismo. O grande problema é que a liberação excessiva de radicais livres causa um fenômeno conhecido como estresse oxidativo, que está associado ao envelhecimento.

23.4.22

OS BENEFÍCIOS DO GENGIBRE

O gengibre e seus benefícios | BOA FORMA
O gengibre parece ser o “queridinho” do momento. É possível utilizá-lo em várias combinações, seja para aqueles que vivem uma vida fitness, seja para aqueles que optam por tomar líquidos naturais, ao invés de suplementos.

A ação anti-inflamatória do gingerol, propriedade antioxidante presente no alimento, previne ao inibir a síntese da prostaglandina, substância que causa inflamações. Especialistas recomendam o consumo diário de até uma colher (chá) de gengibre, porém, aqueles que são hipertensos, devem evitar.

O chá de gengibre é termogênico e excelente para aqueles que sofrem de problemas estomacais. Além disso, ele é ótimo no combate da má digestão, gases, mau hálito, enjoos e dores menstruais. Ele beneficia também na prevenção de outras doenças como artrite, infecções respiratórias, bronquite e artrose. O gengibre têm esses e diversos outros benefícios que podem contribuir para o seu bem estar.

Se você não simpatiza muito com o gengibre, coloque em alguma receita onde seu gosto seja menos destacado. 

8 PIORES E MELHORES FRUTAS PARA QUEM QUER EMAGRECER

 Nosso desejo principal é cuidar da saúde e equilibrar as refeições.

Frutas que favorecem o emagrecimento
 Melancia é aliada da saúde da visão: veja 7 benefícios da fruta -  27/07/2020 - UOL VivaBem

Rica em vitamina C, a melancia é uma ótima opção para quem quer perder peso, porque além de ser rica em fibras, contem uma grande quantidade de água o que contribui não só com o emagrecimento como para a prevenção de doenças que envolvem o sistema urinário. Também é uma importante fonte de licopeno, que contribui para a prevenção de câncer de próstata e de mama e tem ação diurética importante, reduzindo a retenção hídrica que causa inchaço.

Abacaxi: perfil de nutrientes e receitas para o dia a dia | 5 minutos de  nutrição | Rede Globo

O abacaxi apresenta função digestiva importante, facilitando a digestão de proteínas. Sua ação no processo de emagrecimento se dá por sua quantidade de fibras e, quando consumido antes das refeições, in natura ou suco puro, confere maior saciedade. Além disso, é ligeiramente diurético, facilitando a eliminação de água pela urina. É fundamental para o bom funcionamento do trato gastrointestinal.

Maçã – Wikipédia, a enciclopédia livre

Por ter ação antiinflamatória, a maçã é uma forte aliada contra a obesidade. Contribui tanto para a diarreia como para a prisão de ventre, agindo como uma espécie de vassoura intestinal. Reduz os níveis de colesterol no sangue, reduzindo também os níveis de gordura corporal.  

4 tipos de tangerina e as características nutricionais de cada um deles

Riquíssima em vitamina C, a quantidade de fibras da tangerina é fundamental para o emagrecimento, uma vez que confere saciedade e ajuda no funcionamento intestinal. Sua ação na redução de gordura corporal e colesterol sanguíneo também é observado. Ajuda na absorção de ferro e no controle da glicemia.

Frutas que dificultam o emagrecimento

Em nossos produtos: Abacate orgânico e Perseose de abacate | Mustela

Por ser rico em gorduras, deve-se ter muito cuidado no seu consumo quando o objetivo é o emagrecimento. 

Da água à polpa: coco sacia e melhora ação do intestino; veja 6 benefícios  - 02/08/2021 - UOL VivaBem

Apesar da gordura de boa qualidade, o coco, assim como o abacate, é muito rico em gorduras o que pode dificultar o processo de emagrecimento.

Benefícios do açaí: saiba por que é importante passar a consumir essa fruta

Embora rico em nutrientes importantes para o corpo humano, o açaí é uma fruta altamente calórica que deve ser evitada por aqueles que desejam perder peso.

Além de saborosas, veja os benefícios da uva - Uai Saúde

Não é rica em gorduras nem tanto calórica, porém, possui um alto índice de açúcares, o que dificulta a perda de peso.

16.4.22

ALIMENTOS BONS PARA PRÉ-TREINOS

 Tapioca Integral de Cottage, Chia e Mel • Chef Receitas • Receitas fáceis  de preparar

Tudo depende do objetivo que você quer alcançar em seu corpo. Se o seu objetivo é ganhar massa muscular, então o que você come antes do treino, é uma das refeições mais importantes do dia.

A alimentação adequada para os treinos é um dos pontos principais para garantir um bom desempenho. O objetivo principal do pré- treino, é garantir que você tenha energia suficiente para que assim, a fadiga seja evitada.

Alguns especialistas salientam que não se deve, antes do treino, ficar sem comer por mais 2h30min. O mais indicado é comer 30 min a 1hs antes do treino. É preferível que você ingira alimentos com médio ou baixo índice glicêmico ou consuma uma fonte de carboidratos simples e outra complexa. Ex: Banana com aveia.

  1. Banana: fonte de carboidratos de rápida absorção, fornecendo potássio, que é eliminado no suor durante a atividade física e também ajuda a evitar câimbras.
  1. Mel: Um bom antioxidante, juntamente com o potássio e o fósforo, fonte de frutose e glicose e de rápida absorção.
  1. Cereais integrais: Importantes para o metabolismo e dão mais disposição por tempo prolongado.
  1. Tapioca: Ela é uma ótima fonte de carboidrato, podendo ser controlada com alguma fonte proteica- cogumelos, castanhas, tofu e entre outros.

COMO APROVEITAR MELHOR OS NUTRIENTES DOS LEGUMES E VERDURAS

Como aproveitar melhor os nutrientes dos legumes e verduras

Com certeza você está sempre ouvindo sobre os beneficios dos legumes e verduras, sobre como eles fazem bem à saúde e que certamente devem ser consumidos diariamente. Eles são ricos em nutrientes e vitaminas, além de conter antioxidantes que são essenciais ao organismo.

Mas dependendo da maneira como são preparados os legumes e verduras, eles sofrem uma grande perca de seus nutrientes devido ao calor. Então vale a pena ficar por dentro de como deixar seus alimentos mais ricos e saudáveis na maneira do preparo, até chegarem a sua mesa.

Ao colocar os alimentos para cozinhar na água, boa parte dos nutrientes são transferidos para a água. Dessa forma a água pode ser consumida como sopa ou caldo, sendo aproveitado todo aquele conteúdo nutricional existente na água que foi usada para o preparo dos legumes e verduras.

Mas se o seu desejo é fazer uma salada com os legumes e verduras, use água bem fervente para prepará-los, dessa forma eles perdem menos valores nutricionais.

Valores nutricionais

Couve-manteiga: fonte de vitaminas A e C, cálcio, fósforo, potássio e ácido fólico. Além de conter clorofila e glicosinolatos que limpam o organismo e regulam o teor de gordura no organismo.

Cenoura: rica em vitaminas A e C, potássio, carboidratos e sódio.

Berinjela: contém vitaminas C, B1 e B2. Além de proteínas, cálcio e fósforo.

Batata: contém vitaminas C e do complexo B. Carboidratos, fósforo, fibras, cálcio, magnésio, zinco e potássio.

Ervilha: fonte de vitaminas A, B e C. Além de potássio, fósforo, cálcio, ferro, zinco e selênio.

Tomate: contém vitamina C, potássio, fósforo, sódio, cálcio, fibras, magnésio e quantidade abundante de licopeno.

Beterraba: contém vitaminas A, C e do complexo B. Além de potássio, ferro e ácido fólico.

Brócolis: rico em vitaminas A, C e do complexo B. Além de cálcio, ferro, zinco, ácido fólico e potássio.

Com um preparo adequado é possível aproveitar melhor os beneficios dos legumes e verduras.

BATATA DOCE: UM SUPER ALIMENTO

Batata-doce ajuda a emagrecer? Veja 6 benefícios do alimento
A batata doce está na mesa de praticamente todos os brasileiros. Parece que ela veio para ficar e mostrar o quanto seus nutrientes são benéficos para o nosso corpo, principalmente para aqueles que tem uma rotina de exercícios regulares.

Esse é um tubérculo rico em carboidratos complexos de baixo índice glicêmico, o que significa que sua absorção é mais lenta. Além disso, a batata doce é rica em antioxidante, uma excelente fonte de vitamina A e B.

Este alimento é ótimo para quem deseja aumentar a massa corporal, isso porque 100 gramas de batata doce têm 116 calorias, o que é menos que a batata inglesa e o arroz comum. Para quem faz musculação, ela é um ótimo lanche pré-treino, pois dá energia e a força necessária para treinar com eficiência.

Mas sua utilidade não pára por aí. A batata doce também possui diversos benefícios à saúde que nos auxiliam na prevenção de doenças.

Regula os níveis de Açúcar no Sangue

Embora seja rica em amido (que é convertido em açúcar durante o processo digestivo) a capacidade dela em regular o açúcar no sangue, é muito grande pelo teor de fibras presentes em sua composição. Também ajuda a equilibrar o ritmo da digestão.

Ajuda no combate ao câncer

A batata doce é rica em beta caroteno, sendo um alimento muito importante na prevenção do câncer de próstata. Médicos afirmam que o beto caroteno pode reduzir o risco de câncer de mama em mulheres na pré-menopausa e o câncer de ovário em mulheres na pós-menopausa.

Controla o Estresse

Esse é um dos benefícios mais interessantes e desconhecidos da batata doce. Rica fonte de magnésio, conhecido como mineral antiestresse, melhora o humor, acalma, relaxa, assim como promove a saúde das artérias, do sangue, dos nervos, dos ossos e músculos.

12.3.22

A RESPIRAÇÃO INFLUENCIA DIRETAMENTE A SAÚDE

Respiração | Fisiologia humana | Biologia | Educação

Com uma respiração adequada é possível aliviar o estresse e manter o equilíbrio emocional, assim sua rotina se torna menos maçante. Exercícios respiratórios ajudam a manter o corpo relaxado, a mente mais sã e o sistema respiratório trabalha mais aliviado, além de liberar a tensão causada pela rotina corrida que a maioria das pessoas enfrentam.

Segundo estudos realizados pela Clínica Cleveland, nos Estados Unidos, os exercícios respiratórios podem contribuir com vários fatores de saúde, entre eles estão:

  • Reduz a ansiedade e ajuda a controlar as dores corporais;
  • Contribui com uma melhor rotina de sono;
  • Diminui a necessidade de medicamentos para dores pós-cirúrgicas;
  • Proporciona menos complicações em recuperações pós-cirúrgicas;
  • Reduz o tempo necessário de internações;
  • A recuperação de saúde se torna mais rápida;
  • Fortalece do sistema imunológico;
  • Gera maior sensação de bem-estar e auto-controle.

A educação respiratória pode ainda reduzir a hipertensão arterial, a depressão, ajudar a combater o envelhecimento precoce e o ganho de peso.

Como os órgãos se beneficiam com uma respiração mais tranquila e regulada?

O pulmão conserva a sua elasticidade, também a mobilidade dos músculos e do diafragma, aumentando assim a capacidade e o rendimento respiratório;

O sangue reduz a sua densidade, com menos moléculas de oxigênio, são disponibilizadas outras substâncias e diminui a pressão sanguínea;

O coração sofre menos esforço e os músculos cardíacos também. Dessa forma os batimentos cardíacos ficam menos sobrecarregados e funcionam com mais tranquilidade;

As funções cognitivas do cérebro são preservadas e a respiração rítmica adequada manda para o sistema nervoso central  a mensagem de relaxamento;

Também é gerado menos ácido láctico para produzir energia, dessa forma os músculos são aliviados, aumentando o rendimento físico.

3 passos para uma respiração adequada

  1. A respiração deve se iniciar no abdômen, chegando até a região das costelas e atingir o tórax.
  2. Você deve treinar a respiração pela barriga, inflando o abdômen durante a respiração e murchando quando expirar.
  3. Solte o ar mais devagar do que inspirou. Dessa forma aumenta a eliminação de gás carbônico e abre mais espaço nos pulmões para a entrada de oxigênio.

 Entenda melhor o sistema respiratório

 Com essa reeducação respiratória é possível manter o corpo e a mente mais saudável, pratique!

VEGETARIANISMO ESTRITO COM SAÚDE: COMO SE TORNAR VEGETARIANO ESTRITO AOS POUCOS?

SOBRE O VEGETARIANISMO E SUAS VERTENTES – Cozinha FIT&FAT

Em um primeiro momento, tornar-se vegetariano estrito pode parecer uma tarefa difícil e desafiadora. Mas, aos poucos e sem deixar sua saúde de lado, você pode aderir a esse estilo de vida que tem ganhado cada vez mais adeptos.

Se seguido com consciência e com as substituições corretas, o vegetarianismo estrito pode melhorar — e muito! — sua qualidade de vida. Afinal, uma boa alimentação é o primeiro passo para uma vida saudável.

Neste post, vamos dar algumas boas dicas de como se tornar vegetariano estrito gradativamente. Vamos lá?

Como se tornar vegetariano estrito aos poucos?

Em vez de cortar imediatamente todos os alimentos de origem animal, o ideal é ir aos poucos excluindo e substituindo esses ingredientes por outros. Afinal, é preciso manter o equilíbrio dos nutrientes no nosso organismo.

Então, para que a transição seja feita da melhor maneira possível, siga estes dois passos:

1. Primeiro, adicione novos alimentos à sua rotina alimentar

Ao contrário do que muita gente pensa, ser vegetariano estrito não é só sobre cortar uma lista de alimentos do seu cardápio. É claro que você deixará de comer algumas coisas, mas é essencial acrescentar sabores ao seu dia a dia.

Comece experimentando grãos, legumes e frutas que você nunca comeu. Tentar algumas receitas novas pode ajudar bastante nessa hora.

Somente quando sua alimentação estiver completa, com ingredientes variados, comece a fazer a restrição. O movimento contrário (restringir primeiro e experimentar outros alimentos depois) é muito mais difícil. 

E também não é bom abandonar tudo de uma vez. Veja no tópico abaixo como fazer essa mudança de uma maneira tranquila.

2. Corte progressivamente os produtos de origem animal

Nosso organismo pode reagir mal diante de cortes bruscos na alimentação. Por isso, o ideal é retirar aos poucos os produtos de origem animal do seu cardápio.

Comece, por exemplo, cortando a carne vermelha. Depois, passe a comer algum tipo de carne somente uma vez por semana, trocando nos outros dias por legumes gratinados ou assados e bem temperados.

O próximo passo são os ovos e os derivados do leite. Nas receitas que você gosta de fazer, comece a  usar o leite vegetal. Hoje em dia também existe uma grande variedade de queijos veganos de boa qualidade, que você pode inserir na sua rotina alimentar.

Quais substituições precisam ser feitas?

Ao adotar o estilo de vida vegano, para que seu corpo não sinta carência de nutrientes, é preciso ficar atento à combinação de proteína, ferro e cálcio, principalmente.

Fazendo as substituições corretas e levando em consideração esses três elementos, seu organismo ficará mais saudável.

Para ingerir a quantidade de proteína que seu corpo precisa, você pode ingerir leguminosas (como grão-de-bico, feijão e lentilha) e cereais (como arroz e aveia).

No caso do ferro é importante lembrar que o de origem vegetal (que está no feijão, por exemplo), é tão eficiente quanto a carne. Uma dica é consumir bastante vitamina C ao longo do dia, já que ela contribui para a absorção do ferro no organismo. Experimente comer laranja na refeição, por exemplo!

Por último, engana-se quem pensa que o leite de vaca é a melhor fonte de cálcio. Ele também está presente em folhas verdes, gergelim, amêndoas e feijão.

Ao adotar o estilo de vida vegetariano estrito você melhora sua qualidade de vida e aprimora sua alimentação!

5 FORMAS INUSITADAS DE REAPROVEITAR ALGUNS ALIMENTOS

Fato! Hoje em dia, economizar ou reaproveitar são palavras do momento. E em tempos de crise, encontrar alimentos multifunção ajuda muito. Sabia que alguns alimentos que utilizamos apenas na cozinha podem ser aliados em tratamentos e cuidados estéticos? Alguns truques são bem antigos (dica de avó, sabe?!)

Separamos 5 dicas inusitadas e excelentes pra você testar em casa!

  1. Batata

A casca da batata é um ótimo compressor para reduzir o edema (inchaço) dos olhos, uma grande aliada para esse problema. Pressione sobre a pele o lado úmido das cascas frescas durante 15 minutos.

Essa mesma técnica também pode ser usada para aliviar sintomas da acne.

Batata: propriedades, benefícios nutricionais e receitas

  1. Tomate

As cascas do tomate podem virar um belo molho. Higienize-as bem, guarde-as em um saquinho e congele. Para utiliza-las não é necessário descongelar, apenas bata no liquidificador.

Tomate (1 unidade aprox. 250g) - mobile-superprix

   3. Abacate e Mamão

As mulheres tentam de todas as formas encontrar produtos para a pele. Ficar bonita tem seu preço e, na maioria das vezes, não é barato. O abacate é um excelente hidratante para a pele por ser rico em gordura. Esfregue a parte interna da casca no rosto e deixe agir por alguns minutos e logo após, enxague. Feito sucessivamente, o resultado será visto.

Outra fruta excelente para cuidar da pele é o mamão. Rica em vitaminas A e C, além de cálcio, ferro, potássio e fibras, o mamão possui uma enzima poderosa chamada papaína, que combate os radicais livres e promove uma ação de peeling no rosto.

Herbalife EVS Premium Barcelona - São Caetano do Sul - Abacate X Mamão Sim,  o abacate é melhor do que o mamão para regular o intestino! Mais fibras e  quase nada de

  1. Beterraba

Com baixa concentração de calorias, a beterraba é rica em minerais e também nas vitaminas A, C e complexo B. O vegetal é um forte aliado para a saúde do coração, previne a formação de vários tipos de câncer, reduz a anemia, além de ser um excelente alimento para os diabéticos e para a pele. As folhas da beterraba podem ser utilizadas em diversas receitas fáceis como por exemplo sucos, bolinho de folha de beterraba, e uma bela salada de beterraba crua.

 Do emagrecimento à melhora do sexo: 6 razões para comer mais beterraba -  19/11/2017 - UOL VivaBem

  1. Cenoura

Você já pensou em usar a rama da cenoura? Ela possui 4 vezes mais proteínas e 14 vezes mais cálcio quando comparado com a cenoura. Ela é um ótimo aliado para quem quer emagrecer, possui componentes fitoquímicos ou fitonutrientes. Uma ótima forma de utilizar essa parte que ninguém dá bola é fazer um chá. É interessante ressaltar: coloque a água fervente sobre as folhas para não comprometer as propriedades que a planta oferece.

Cenoura Kg

12.2.22

CONHEÇA ALGUNS CUIDADOS DIÁRIOS PARA QUEM TEM INTOLERÂNCIAS ALIMENTARES

Intolerância alimentar: o que é e como tratar - Blog da Livraria Florence

Existem alguns problemas que só quem tem entende. Muitas vezes tratadas como “frescas” ou “enjoadas”, as pessoas com intolerâncias alimentares passam por desafios diários em toda refeição. Saber a composição de cada alimento é de extrema importância para que nada seja ingerido por acidente e gere efeitos colaterais indesejados.

A menos que você tenha passado previamente por um alergista, você pode descobrir uma intolerância ou uma alergia a qualquer refeição. Vamos falar um pouco sobre alguns cuidados no dia a dia para que os intolerantes não sejam pegos de surpresa e acabem com problemas mais sérios pela ingestão de substâncias que o organismo simplesmente não aceita.

Prepare-se para comer fora de casa

Talvez as refeições fora de casa sejam o maior desafio para aqueles que têm alguma restrição alimentar. Além da falta de preocupação dos restaurantes e lanchonetes com o cardápio especial para esse público, a carência de informação pode ser mais um problema.

Planeje as refeições

Se você já tem consciência de suas limitações ao comer, o ideal é elaborar um planejamento especial para a rotina alimentar. Coloque em seu roteiro os restaurantes que tenham maior cuidado com essa questão e que apresentem menus separados, sem glúten, sem lactose, ovos e afins. Dê prioridade para aqueles que se preocupam com sua saúde.

Faça sua própria comida

Sem dúvida essa é a melhor alternativa. Sabendo o que você pode ou não comer, é possível preparar uma infinidade de pratos deliciosos voltados para sua limitação. Programe sua rotina para preparar sua própria comida e esteja 100% seguro de que está comendo com saúde — além de economizar um dinheirinho.

Informe suas restrições

Claro que poucas pessoas sabem que você não pode comer determinado tipo de alimento, por causa de uma alergia ou de uma intolerância. Por isso, informe no estabelecimento onde você vai comer sobre essas questões. Assim, as pessoas vão ajudá-lo a escolher uma refeição adequada. A dica é evitar estabelecimentos lotados, para que não haja informações desencontradas e equívocos que podem fazer você perder o dia passando mal.

Tenha atenção aos rótulos

Letras miúdas são confusas e chatas de ler, certo? Certo. Porém, é preciso superar essa preguiça quando sua saúde está em jogo. Esteja atento às informações nutricionais presentes nas embalagens e tenha certeza de que não há nada que possa causar uma reação alérgica ou algum tipo de intoxicação.

Procure estabelecimentos especializados

Mais uma vez: valorize quem se preocupa com sua saúde. Existem estabelecimentos especializados que vendem produtos e comida para as pessoas que têm intolerâncias alimentares. Pesquise e se informe sobre esses lugares e coloque-os no seu cotidiano.

Use a tecnologia como aliada: há aplicativos de celular que localizam esses lugares. MyHolyFood, Zero%, Achei sem Glúten e GoodGuide são exemplos de ferramentas que podem ajudá-lo nessa empreitada.

Existem muitas formas alternativas de se alimentar com saúde para quem tem intolerâncias alimentares. Esses são alguns dos cuidados que essas pessoas devem tomar para se alimentar com saúde e evitar transtornos. Acha que nossas dicas podem ser úteis para seus amigos? Compartilhe esta postagem nas suas redes sociais!

6 MITOS OU VERDADES SOBRE INTOLERÂNCIA À LACTOSE

Leite condensado de coco sem gluten da Copra Alimentos

Alimentos como leites, queijos e iogurtes são facilmente encontrados na mesa das famílias brasileiras de norte a sul. Nosso país é um dos grandes produtores mundiais de leite e como consequência dessa realidade temos um mercado rico em laticínios. 

Cerca de 40% da população do Brasil tem intolerância à lactose.

Mesmo com um mercado interno que consome bastante laticínios, quase metade dos brasileiros sente os efeitos da má digestão da lactose. Os efeitos variam muito e as pessoas que sofrem os casos mais leves muitas vezes nem imaginam que possuem esse tipo de reação.

Por se tratar de algo muito comum, é natural que apareçam algumas inverdades e mitos envolvendo a intolerância e seus desdobramentos. Neste post vamos apresentar 6 mitos ou verdades para você tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto.

1. Intolerância não é um grande perigo

MITO. Apesar de os sintomas da intolerância à lactose serem basicamente de ordem digestiva (náuseas, diarreias, vômitos, gases e dores de estômago), isso não significa que não seja algo grave.

Pessoas que não possuem a capacidade para digerir a lactose (açúcar presente no leite) podem passar por sérios problemas de saúde se negligenciarem a sua condição ou ingerirem alimentos não recomendados em grandes quantidades. O paciente pode ser hospitalizado com diarreia severa e ter desidratação, que é extremamente perigosa para o corpo humano.

2. A intolerância à lactose varia entre os povos

FATO. ​Estudos realizados com pessoas vindas de diversos etnias mostrou que a intolerância está distribuída de forma desigual pela população do mundo. Alguns povos, como os Dinamarqueses, possuem índices de intolerância muito menores (cerca de dez vezes) que os brasileiros. No extremo oposto, encontramos alguns povos asiáticos em que quase todos os indivíduos possuem algum tipo de restrição ao consumo de laticínios.

3. Quem tem intolerância sabe

MITO. A hipolactasia (distúrbio na produção da lactase) se manifesta de forma disforme e em intensidades distintas. Isso significa que existem pessoas que sofrem após comer alimentos à base de leite e nem sabem o porquê.

Nos casos mais leves, é comum que os pacientes confundam os sintomas com um simples desconforto causado pelo excesso de comida ou por outro ingrediente que não seja o leite. Algumas pessoas só descobrem a intolerância após diversos episódios de mal-estar, por isso, ainda é grande o número de intolerantes que desconhecem a sua própria condição.

4. Somente leite de vaca possui lactose

MITO. Todo leite de origem animal possui lactose, apenas leites de origem vegetal, como leite de coco, não contêm o açúcar em sua composição.

5. Quem tem intolerância à lactose precisa mudar sua alimentação

FATO. ​Sim, quem possui hipolactasia precisa modificar seus hábitos alimentares.

6. Alimentos sem lactose são caros e ruins

MITO. É possível encontrar uma grande diversidade de produtos sem lactose que possuem um sabor delicioso. Nem tudo que é bom leva leite e é possível trocar os laticínios por sucos, frutas, geleias ou biscoitos, diminuindo a ingestão da lactose, mas sem abrir mão de uma refeição com sabor. Até mesmo os laticínios tradicionais possuem alternativas, como é o caso do queijo vegano!

Esses são alguns dos mitos e verdades envolvendo a intolerância à lactose que você precisa ter em mente. Lembre-se: para evitar os transtornos trazidos pela intolerância, o mais importante é consultar um médico e alimentar-se com mais qualidade.

Deixe seu comentário contando as experiências com alimentos substitutos da lactose ou compartilhe sua batalha contra a hipolactasia!

COMO COZINHAR SEM GLÚTEN? DESCUBRA O QUE NÃO PODE FALTAR NA COZINHA

Por que comer alimentos sem glúten? – Blog

Quem tem doença celíaca apresenta sintomas graves ao ingerir uma proteína chamada glúten, presente principalmente no trigo. Nesses casos, a intolerância é tão intensa que um alimento se torna contraindicado pelo simples fato de ter sido preparado no mesmo ambiente em que ingredientes com glúten foram manipulados.

Mas sabia que mesmo quem não é celíaco pode experimentar benefícios incríveis ao adotar uma dieta livre dessa proteína?

No post de hoje, listamos o que não pode faltar na despensa de quem pretende cozinhar sem glúten, seja para preparar as receitas mais tradicionais sem dificuldades ou para continuar em dia com todos os nutrientes necessários à nossa saúde, apesar da restrição! Vamos ver?

Substitutos do trigo para cozinhar sem glúten

Além do próprio pão, tão consumido na rotina dos brasileiros e cuja base é a farinha de trigo, muitas outras receitas também usam esse ingrediente em seu preparo. Portanto, quem pretende tirar o glúten da cozinha precisa ficar por dentro de alguns macetes para substituí-la.

Conheça algumas das principais alternativas:

Farinha de amêndoas

Podendo ser preparada facilmente em casa, a farinha de amêndoas nada mais é que um bocado de amêndoas sem casca, trituradas até se tornarem uma farofa bem fina.

Ela é ideal para receitas doces (como de bolos e biscoitos), conferindo sabor e aroma únicos e trazendo ainda várias vantagens para a saúde, já que é rica em cálcio, magnésio, vitamina E e vitamina B2.

Farinhas de linhaça e de chia

Elas também podem ser preparadas em casa, triturando as sementes de chia ou linhaça na hora de usar, e ainda ajudam a dar mais crocância à receita. Outra vantagem é o fato de serem extremamente nutritivas, ricas em ômega 3 e fibras alimentares.

Farinha de arroz

Perfeita para ser usada em receitas de todo tipo (pães, biscoitos, massas e até pizza), a farinha de arroz tem mais fibras e vitaminas que a de trigo, ao mesmo tempo em que tem menos gorduras.

Misture-a com amidos (como mandioquinha ou batata-doce) para dar mais leveza às suas receitas.

Fubá

Trazido de Portugal, o fubá é uma farinha que pode ser feita com arroz ou milho e serve para receitas de broas, pães, biscoitos, bolos e salgados, bem como do famoso angu.

Ele é fonte de betacaroteno, vitaminas do complexo B, fibras alimentares e vitamina K.

Fontes naturais de fibras alimentares

Agora que você já sabe como é possível adaptar suas receitas sem medo, passemos à questão da nutrição propriamente dita. Afinal, além da textura e o sabor dos alimentos mudarem quando você tira o glúten da dieta, os nutrientes que ingeria naqueles alimentos também precisam ser substituídos, começando pelas fibras.

Essenciais para o bom funcionamento do nosso sistema digestivo e para a manutenção da nossa flora intestinal, as fibras que você deixar de consumir no pão integral de trigo, por exemplo, também podem ser encontradas em alimentos como:

  • mamão;

  • ameixas;

  • alface;

  • amendoim;

  • aveia sem glúten.

Alimentos ricos em ferro, cálcio e vitamina C

Depois das fibras, o próximo passo é garantir que as vitaminas e minerais (que antes você obtinha nos alimentos com glúten) vão continuar sendo fornecidos para o seu organismo — só que agora vindos de outras fontes.

O ferro, a vitamina C e o cálcio estão entre as principais vantagens do trigo. No entanto, é fácil encontrá-los (inclusive em maior quantidade!) nos seguintes alimentos:

  • laranja;

  • espinafre;

  • brócolis;

  • feijão;

  • mandioca.

Viu como é possível cozinhar sem glúten todos os dias, apenas com um pouquinho de atenção e pesquisa?

Que tal aproveitar e ficar por dentro das nossas ideias para deixar sua alimentação ainda mais saudável, não importa qual seja a sua restrição?

22.1.22

AS 3 PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE VEGETARIANISMO E VEGANISMO

Qual a diferença entre Vegano e Vegetariano? | Vegano e vegetariano,  Vegetariano, Citações vegetarianas

A alimentação rege muita coisa no nosso corpo. Funções importantíssimas do organismo são reguladas por aquilo que comemos. Certamente, “você é o que você come”. Entretanto, há questões ideológicas que também influenciam algumas pessoas no momento de comer e até mesmo no seu modo de vida. Tendências alimentares e filosóficas pautadas no respeito aos animais têm sido popularizadas atualmente. Mas será que você sabe quais são as diferenças entre vegetarianismo e veganismo?

1. Qual a origem?

As origens do vegetarianismo enquanto hábito alimentar apontam para quando o homem ainda não tinha habilidades e as ferramentas necessárias para caçar. Sendo assim, os primeiros humanos se alimentavam majoritariamente de frutas e outros vegetais.

Foi nas civilizações antigas do oriente que o vegetarianismo começa seu caráter ideológico. A sacralização dos animais na Índia e o budismo no Japão traziam o vegetarianismo para uma esfera religiosa. Na China, alguns imperadores incentivavam o vegetarianismo entre seus súditos, com um caráter político.

No ocidente

O início da ideologia vegetariana no ocidente é associado ao filósofo e matemático Pitágoras. Sua escola pregava a pureza dos hábitos cotidianos a fim de alcançar o aperfeiçoamento espiritual. Portanto, era terminantemente proibido o consumo de carnes.

Para Pitágoras e seus discípulos da escola de Crotona é impossível manter um aperfeiçoamento espiritual sem demonstrar compaixão aos outros animais, daí sua abstenção das carnes.

Uma vertente mais recente

O veganismo, por sua vez, desponta como uma vertente mais nova do vegetarianismo. As primeiras ideias surgiram no século XX, na Inglaterra, com o marceneiro Donald Watson, secretário da Sociedade Vegetariana de Leicester.

Em 1944 ele se incomodou com o fato de vegetarianos consumirem leite, cuja extração causa danos à qualidade de vida das vacas. Sua ideologia foi popularizada entre a comunidade devido a uma infecção das vacas inglesas por tuberculose, em 1945.

2. Quais são os hábitos alimentares?

Existem escalas de vegetarianismo, que correspondem às necessidades fisiológicas e ideológicas daqueles que assumem a dieta. Claro que todos excluem a carne do cardápio.

Os ovolactovegetarianos consomem ovos e laticínios, enquanto os lactovegetarianos cortam os ovos da dieta. Os vegetarianos estritos não se alimentam de ovos, nem de leite, porém consomem mel.

Por sua vez, os veganos excluem todos alimentos de origem animal, ressaltando sempre sua identidade política e ideológica no que diz respeito aos direitos dos animais e extrapolando a esfera alimentar.

3. Quais são as ideologias?

Questões ligadas aos direitos dos animais são relativamente recentes e a ideia do veganismo está diretamente ligada a esse posicionamento político. Trata-se de um vegetarianismo restrito, consumindo apenas alimentos de origem vegetal. Ou seja, leite e seus derivados, ovos e até mesmo mel estão cortados.

O veganismo é entendido como um estilo de vida. Não se trata apenas de não comer nada de origem animal, mas de mudar todos os hábitos de consumo que envolvam a exploração de animais. Ou seja, é uma filosofia que prega o respeito aos seres vivos em todas as esferas.

OS 4 MELHORES ALIMENTOS PARA EMAGRECER COM SAÚDE

Farelo de Aveia na Cerealista Express

Manter uma alimentação saudável é fundamental para a qualidade de vida. Os alimentos fornecem os nutrientes para nosso corpo funcionar plenamente e comer bem é uma das melhores formas de prevenir doenças. O consumo excessivo de gorduras saturadas, açúcares e sódio é um dos grandes causadores de doenças como infarto, obesidade e diabetes.

A alimentação saudável não está diretamente ligada a nenhuma dieta, mas sim ao equilíbrio entre os diversos grupos de alimentos que ajudam a manter o peso e ficar com a saúde em dia. Quem exagera em algum deles precisa fazer reeducação alimentar.

Devemos ficar atentos à quantidade e qualidade dos alimentos ingeridos, para obter as proteínas, carboidratos, gorduras, fibras, cálcio, vitaminas e outros minerais necessários, sem que haja exageros ou carências.

Você conhecerá agora alguns alimentos para emagrecer com saúde, que não comprometem a sua nutrição diária. Confira!

Farelo de aveia

A aveia é um grão rico em minerais como cálcio e ferro. Possui vitaminas do complexo B e E, além de proteínas e fibras. Alguns de seus benefícios são: promover a sensação de saciedade por mais tempo, melhorar o funcionamento do intestino, diminuir o colesterol ruim e controlar o açúcar no sangue.

Ela pode ser encontrada em forma de farelo, farinha ou flocos. Como o farelo de aveia provém da camada externa do grão, ele é o que mais auxilia na alimentação por possuir a maior concentração de fibras.

A indicação para consumo do farelo de aveia é de 3 colheres de sopa ao dia. É possível adicioná-lo a frutas, sucos, vitaminas ou receitas de tortas e pães. Para maior eficiência dos benefícios do farelo de aveia, é necessário beber bastante água durante o dia (cerca de 5 ou 6 copos). Esse procedimento é fundamental para que não ocorra a prisão de ventre.

Cogumelos

Existem diversas espécies de cogumelos, aqui no Brasil os mais consumidos são: Shitake, Shimeji, Cogumelo Paris, Portobello e Funghi Secchi. Eles são bons aliados para quem quer reforçar o sistema imunológico, proteger-se de doenças cardiovasculares e perder peso. Para você ter uma noção, cerca de 100 gramas de cogumelos contêm apenas 1 grama de gordura e não mais do que 40 calorias. Eles são excelentes fontes de fibras alimentares!

Não existe uma quantidade ideal para o consumo de cogumelos, mas um item com tantos benefícios não pode ficar de fora de uma alimentação saudável. A única dica a ser seguida é evitar as versões em conserva, pois elas apresentam muito sódio.

Quinoa

A quinoa é um grão com tantos benefícios que pode entrar tranquilamente na lista de alimentos para emagrecer com saúde. Ela é consumida ao redor do planeta por pessoas que se preocupam com a saúde e buscam alimentos completos.

Naturalmente livre de glúten, ela é uma pequena semente cheia de fibras, vitaminas e minerais. Além desses nutrientes, a quinoa possui uma proporção elevada de proteínas quando comparada a outros grãos, sendo essa uma de suas vantagens mais apreciadas.

A proteína faz com que o metabolismo aumente, reduzindo o apetite significativamente. Ela também contém ferro, magnésio, fósforo, potássio, cálcio e vitaminas do complexo B e E.

Os tipos de quinoa encontrados mais facilmente nas lojas são a branca, vermelha e preta. É fácil usá-la na alimentação, pois substitui muito bem o arroz branco e é um ótimo complemento para saladas. Seus grãos cozinham rapidamente e seu sabor sutil faz com que ela seja um ingrediente versátil e discreto.

Batata-doce

Rica em nutrientes e antioxidantes, a batata-doce é encontrada com tranquilidade em feiras e mercados por um preço bem convidativo. O tubérculo é rico em ômega 3, ácidos graxos, magnésio, fósforo, potássio e vitaminas.

A batata-doce é muito apreciada por pessoas que estão em processo de ganho de massa muscular. Seus carboidratos são consumidos lentamente pelo organismo, o que aumenta a sensação de saciedade. O potássio presente também ajuda no combate às câimbras, algo que todo atleta precisa evitar.

Esses são 4 dos alimentos mais importantes para você incluir na sua alimentação com objetivo de emagrecimento. Compartilhe este texto nas suas redes sociais e auxilie outras pessoas a perderem peso com saúde!