3.12.16

DIAS QUENTES + DESIDRATAÇÃO = PEDRA NOS RINS


Dias quentes mais desidratação é igual a pedras nos rinsA chegada do verão traz consigo muitas situações que tanto almejamos ao longo do ano. Praia, sol, dias grandes, roupas confortáveis…  Inúmeros  são os atributos que fazem com que a rotina seja mais agradável nesse período. Mas é necessário tomar cuidado para evitar que problemas de saúde arruínem as férias.
As temidas pedras nos rins fazem parte desse grupo de preocupações que rondam a vida na estação mais quente do ano. A desidratação pode ser um fator determinante para o aparecimento da doença que é conhecida por provocar dores comparáveis ao do parto nas pessoas.
Para evitar o problema, especialistas sugerem um consumo maior de água no verão. A explicação para isso é a de que nessa estação o corpo humano precisa de mais líquidos para a sua manutenção, mas nem todo mundo repõe a quantidade necessária, podendo, assim, gerar o problema, que é mais percebido nos meses em que o calor é intenso.
Remédios caseiros para pedras nos rins
Claro que outros fatores também ajudam para o aparecimento das indesejadas pedrinhas. Questões hereditárias, infecção urinária, alimentos com muito sal e o elevado consumo de proteínas (como as carnes) também contribuem para a ocorrência do problema.
Os sinais são muito claros e passam por dores no abdômen, nas costas, além de náuseas e vômito. Se a doença não for tratada, a pessoa pode perder o seu rim. Prevenção é sempre a melhor dica!
O equilíbrio é a recomendação mais assertiva, aliando isso a uma hidratação constante que pode ser encontrada em frutas, verduras, refeições refrescantes e sucos, além de preferir alimentos mais frescos e leves, sem exageros com o sal.
Tomando esses cuidados, certamente o seu verão será muito mais proveitoso e agradável, desfrutando as maravilhas da estação sem a necessidade de visitar uma mesa cirúrgica para retirar pedras dos rins.

12.11.16

QUIABO

ORIGEM : África, chegando ao Brasil juntamente com os escravos, no início da colonização pelos portugueses.
OUTROS NOMES :  Quiabo, quimbombô ou gombô.
MODO DE COMPRAR :  Prefira os que são tenros, bem cheios e firmes, e a ponta  quebra com facilidade; quando a ponta apenas dobrar, é sinal de que o legume já está murcho ou muito fibroso; O quiabo também não deve estar muito deformado ou manchado. Quanto à cor, deve-se preferir os verdes-claros, pois uma cor amarelada indica que estão maduros demais; quando verdes, bem escuros, é sinal de que ainda não estão amadurecidos o suficiente. Para quatro pessoas, a quantidade a comprar é de aproximadamente 400 g.
MODO DE CONSERVAR : Conserva-se bem durante cerca de 5 dias quando guardado em saco plástico e colocado na gaveta da geladeira. Mas não deve ser lavado antes, para que não estrague mais rápido.
MODO DE CONSUMIR :  refogado, cozido, assado, em sopas e em saladas.
OBSERVAÇÃO:   Se você não gosta daquela “babinha” do quiabo, basta pingar gotinhas de limão, depois de cortado, antes de prepará-lo. Sua viscosidade não agrada algumas pessoas, mas é uma forma excelente de espessar sopas e ensopados. Para evitar essa secreção viscosa que o quiabo libera à medida que cozinha, o jeito é cozinhá-lo no vapor ou escaldá-lo até que fique macio.
COMPOSIÇÃO :  O quiabo é um vegetal de alto valor nutritivo. Contém boa quantidade de vitaminas A e C e do complexo B. Além disso, é rico em sais minerais, como cálcio, ferro, fósforo e cobre. O quiabo é um alimento rico em Fibras, além de ser fonte de Cálcio, Sódio, Potássio e Magnésio. Também apresenta Vitaminas C, do Complexo B e Betacaroteno (provitamina A). O quiabo é um alimento rico em Fibras, além de ser fonte de Cálcio, Sódio, Potássio e Magnésio. Também apresenta Vitaminas C, do Complexo B e Betacaroteno (provitamina A).
É um vegetal pobre em calorias e rico em amido, que apresenta alto teor de folato. É, também, uma rica fonte das vitaminas antioxidantes A e C e de potássio, eletrólito que mantém o equilíbrio de líquidos no organismo e que ajuda a transmitir os impulsos nervosos, além de ser necessário para o exercício muscular e o metabolismo.
VALOR CALÓRICO :  100 gramas de quiabo refogado fornecem 90 calorias.

INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS:  Entre outras propriedades, o quiabo age como regulador do intestino, como suave laxante e ajuda na formação dos glóbulos vermelhos do sangue.

5.11.16

PALMITO

ORIGEM : O produto era usado pelos índios que viviam na área de Domínio da Floresta Tropical Atlântica, sendo um dos primeiros alimentos oferecidos aos portugueses, na época do descobrimento.
TIPOS : O palmito é um talo macio e fibroso encontrado na fase de formação de determinadas palmeiras, dentre os muitos tipos existentes. Na região amazônica, encontramos a Pupunha e o Açaí; na Mata Atlântica, o palmito Jussara, Juçara, ou Jjissara, que produz palmito branco e doce, havendo, ainda, a Palmeira Real da Austrália.
PALMITO DE PUPUNHA : Tem a característica de não escurecer rapidamente após o corte, situação muito   comum na maioria das palmeiras usadas para palmito, o que facilita o processamento, além de permitir outras formas de comercializar o produto. Além disso, esse palmito tem a coloração mais amarelada do que o da juçara e do açaí, e possui um sabor bem mais doce. Outra característica importante: a palmeira é perene, isto é, depois de cortada, brota e continua produzindo, sem que haja devastação de florestas.
MENOS ESPINHOS : Um fator fundamental para o aumento da exploração desse tipo de palmito, é que, normalmente, há grande quantidade de espinhos no tronco da palmeira, o que dificulta muitíssimo o trabalho. Mas o Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia (INPA), descobriu espécies sem espinhos, na região Amazônica Peruana, e repassou as sementes para várias instituições em todo o País, que as plantou, aumentando assim a aceitação e o consumo, evidentemente.     
CLANDESTINIDADE :  O Brasil já foi o maior produtor mundial e exportador de palmito, mas, hoje, a Costa Rica e o Equador são os que mais exportam. Os maiores responsáveis pela queda da aceitação internacional ao nosso palmito, são: a má qualidade e o baixo padrão de higiene do nosso produto, pois a clandestinidade na sua extração, tem causado a perda de controle da desejada boa qualidade.  A produção clandestina permite o crescimento do roubo de palmito, seja em propriedades privadas ou em áreas de domínio público, inclusive as que são destinadas à preservação florestal. Como o palmito é um produto que não tem grande valor nutritivo, o produto roubado não se destina a alimentar quem o rouba, e sim ao mercado consumidor. Portanto, os que patrocinam a clandestinidade, tais como: determinadas empresas de fabricação de conservas, restaurantes, redes de supermercados, hotéis, etc., grupos poderosos que não vacilam em manter um verdadeiro “exército”, que chega a matar e/ou ameaçar a quem se interpuser no seu caminho de crimes. A mais famosa delas, a Palmeira Juçara, graças à sua qualidade superior, é intensamente explorada, de forma ilegal e predatória, na região que vai do Rio Grande do Sul ao Espírito Santo, já estando ameaçada de extinção. 
MODO DE COMPRAR : Para maior segurança na compra do palmito em conserva, seja em lata ou em vidro, é recomendável seguir estas instruções:
-          Não compre palmito sem rótulo;
-        Veja se a embalagem está em boas condições e não apresenta traços de ferrugem na lata ou na tampa do vidro;
-       Confira o registro do IBAMA e da ANFAP (sendo que este não é obrigatório), além do carimbo do Ministério da Saúde, bem como o endereço do fabricante;
-       Não compre palmito in-natura, porque a venda deste produto é ilegal, mesmo quando é feita por indígenas, sendo que os infratores estão sujeitos a multas e a abertura de processo-crime.
MODO DE CONSUMIR : Por ser altamente versátil, o palmito pode se adaptar muitíssimo bem a várias combinações de alimentos, compondo variados pratos, como nos seguintes exemplos:
- Pizza; - Pastel; - Canelone; - Lasanha; - Patê; - Panqueca; - Mousse; - Empada e Empadão; - Creme; - Torta; - Assado; - Sopa; - Salada; - Refogado; - Grelhado; - Pão; - Moqueca; - Suco; - Sorvete; - No forno; - Crepe;  -  Carpacio;  - Estrogonofe;  – Bolinho.
TIPOS DE CONSERVA  Encontramos no comércio, os seguintes tipos de palmitos em conserva: - picado; - em rodelas; - inteiro (isto é, em pedaços maiores).
COMPOSIÇÃO :  - Proteínas; - Carboidratos; - Fibras; - Sais Minerais (Cálcio; - Ferro; - Fósforo; - Potássio; - Ferro);  - Vitaminas do Complexo B e C; - Tem 90% de água
VALOR CALÓRICO :  100 gramas (fresco) fornecem 25 cal.


PEPINO
ORIGEM : Regiões montanhosas da Índia.
TIPOS : Conforme a variedade, o pepino pode apresentar a casca lisa ou enrugada, e, quando estão maduros, ficam amarelados.
CARACTERÍSTICAS : O pepino é um legume da mesma família da abóbora e da abobrinha,   
“LENDAS” :  O pepino não é consumido como deveria, devido aos seguintes tabus ou lendas: - É indigesto; - Não se deve ingerir pepino com leite; - Causa indigestão; sendo que não há nenhum fundamento nessas afirmações.
MODO DE COMPRAR : Observar as seguintes características:
-          Casca:   - Lustrosa, firme e verde intenso;
-        Peso:     - Entre 2 pepinos do mesmo tamanho, escolha o mais pesado;
-        Forma:  -  Prefira os mais retos, pois são menos amargos;
-       Compactação: - O interior deverá estar compacto e, para constatar isso, bata de leve no corpo do pepino, porque, se o som for fraco, mostra que ele está oco por dentro, não sendo adequado para consumo;
QUANTIDADE :  Calcule da seguinte maneira: - A casca pesa cerca de 50 gramas; - 100 gramas de pepino cru, dão, em média, para uma pessoa; - Quando cozido, rende, aproximadamente, 300 gramas, cada porção.
MODO DE CONSUMIR  :  Uma das formas, é em conserva, mas a maneira mais comum e saudável, é comer o pepino cru, em salada, de preferência, com a casca, que tem fibras, sais minerais citados a seguir, além de enzimas que facilitam a digestão.
Observação : Para comer com a casca, aconselha-se: - lavar bastante em água corrente e, em seguida, colocar numa vasilha, contendo uma colher de sopa de água sanitária, para cada litro de água, deixando  em repouso durante 30 minutos.
COMPOSIÇÃO: Contém: - Vitaminas A e C; - Sais minerais ( - Sílica; - Flúor; - Ferro; - Potássio; - Enxofre; -  Magnésio); - Fibras; - 95% de água; - Carboidratos.
VALOR CALÓRICO  Cem gramas de pepino fornecem 15 calorias.
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS : Principais ações terapêuticas, sempre com as restrições já amplamente explicadas no decorrer deste trabalho:
-          Ótimo para: fígado, rins, vesícula, cabelos, unhas – devido à presença da Sílica e do Flúor;
-         Suco: eficaz para o aparelho digestivo e a bexiga – também é purificante,  e ajuda a eliminar a gordura da pele, sendo muito usado em máscaras faciais, em cremes, loções e outros cosméticos;
-         Misturado com mel: eficiente para distúrbios da garganta;
-         Regula a pressão arterial;
-        É calmante e diurético.


PIMENTÃO  

ORIGEM : Sul do México e América Central - pertence à mesma família da batata, do tomate, do jiló, da berinjela e das pimentas em geral. 
TIPOS :   Apresentam as seguintes características:
 -    Cor: - Durante o amadurecimento, de acordo com a variedade, o pimentão muda de cor, gradativamente, passando do verde para o amarelo, chegando ao vermelho. Se for colhido ainda verde, não chega ao vermelho, pois só fica maduro, na própria pimenteira; - Os de cor Roxa e Creme, mantêm a cor inalterada, durante todo o seu desenvolvimento.
-   Tamanho: - Grandes: têm sabor mais adocicado (vermelhos); - Pequenos: com sabor mais picante (são usados como pimenta, tendo como exemplos os tipos “Chile” e “Dedo de Moça”);
-    Formato: -   Pode ser: - Quadrado; - Retangular; - Cônico 
MODO DE COMPRAR: O bom produto deve ter as seguintes características: - Firme; - Brilhante; - Cabo sempre verde; - Sem manchas; - Sem marcas de insetos.
Melhor época para comprar:  - Entre setembro e janeiro.
Manipulação:  Não apertar nem quebrar .
MODO DE CONSERVAR:  
-          Normal:  -  Colocar em saco plástico e acondicionar na geladeira, na gaveta inferior:
-      Congelado cru: - Limpar bem, cortar em rodelas, colocar numa vasilha e levar ao congelador; quando as rodelas estiverem congeladas, colocar em vasilha própria e guardar no freezer ou no próprio congelador;
-       Congelado cozido: - Usar método convencional para congelar legumes, o que garante o produto por cerca de 9 meses em perfeitas condições de uso.
COMO CONSUMIR :  O pimentão tanto é usado como prato principal, como complemento de diversos outros, conforme nos seguintes exemplos:  - Saladas; - Maioneses; - Molhos; - Pastas; - Ensopados; - Recheados; - Canapés; - Cru, fatiado (aperitivo); - Cozido no vapor; - Geleia e muitas outras saborosas maneiras, conforme a criatividade de cada um.
OBSERVAÇÕES : 1 - Não se deve cozinhar ou fritar o pimentão, por um tempo que exceda 2 minutos, para podermos aproveitar integralmente todos os seus nutrientes;  2 -  Se precisar tirar a pele do pimentão, coloque, durante cerca de 1 minuto, ou até que se rompa a pele dele, numa vasilha com água fervendo; 3 – Se pretende fazer pimentões recheados, é conveniente cozinhá-los antes, por aproximadamente 3 a 5 minutos.
COMPOSIÇÃO : O pimentão verde, contém grande concentração de Vitamina C, enquanto o vermelho tem mais Vitamina A; - De um modo geral, o pimentão tem: - Sais minerais (- cálcio; - fósforo; - ferro; - sódio, embora em pequena quantidade), mas é rico em potássio; - é pobre em hidratos de carbono e proteínas; - é boa fonte de Beta-caroteno (provitamina A); e contém ainda vitaminas A, B1, B2, B3, P (bio-flavonoides).
VALOR CALÓRICO :  100 gramas de pimentão verde cru fornecem 29 calorias.
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS:  
-      EFEITOS GERAIS: - Acelera a cicatrização de feridas - Previne a arteriosclerose; - Controla o colesterol; - Aumenta a resistência física; - Combate alergias; - Previne a formação de hemorroidas; - Ajuda na absorção do Ferro nos intestinos; - Reduz a concentração de histamina, sendo muito útil nos casos de asma; - Eficaz nos casos de enjoos; - Eficiente para controlar a incontinência urinária.
-     EFEITOS LOCAIS: - Suco: - Espremer pimentão fresco, numa dose de 10 a 15 ml,  para ativar e esvaziar a vesícula biliar.

29.10.16

NABO

ORIGEM :  É nativo da Europa e Ásia Central - foi cultivado pela primeira vez no Oriente Médio, há cerca de 4.000 anos. 
TIPOS : Existem muitas variedades, sendo as raízes mais cultivadas no Brasil as do tipo: - chato-topo-roxo;  - redondo-topo-roxo;  - algumas variedade híbridas, de origem japonesa, com raízes mais compridas.
CARACTERÍSTICAS:  É semelhante à cenoura e ao rabanete, porém menos nutritivo, sendo que alguns não devem ser ingeridos e são usados para a fabricação de sabões, a partir de um óleo dele extraído.
MODO DE COMPRAR : Verifique as condições seguintes, ideais para consumo:
-          PELE        Lisa, sem rompimentos e/ou manchas;
-          FOLHAS –  Frescas e bem verdes;
-          CORPO –   Fibroso– não pode estar duro e muito leve. 
QUANTIDADE   Um nabo, de tamanho grande, dá para 4 pessoas, em média.
MODO DE CONSERVAR Pode-se guardar esta hortaliça na geladeira ou fora dela. Se optar por colocar dentro, acondicione num saco plástico e ponha na gaveta inferior apropriada. Se preferir manter na temperatura ambiente, escolha um local arejado e não úmido, afastado da luz solar e, claro, longe dos insetos; arrume de tal maneira que não fique imprensada, o que poderá provocar a germinação.
MODO DE CONSUMIR :  Todas as partes desta hortaliça podem ser ingeridas, em assados, frituras ou cozidos, ou ainda:
-          Folhas (que muita gente despreza e joga fora): podem ser comidas em saladas, sopas, caldos, refogados ou recheios;
-          Talos: Preparados e ingeridos da mesma maneira;
-          Raiz (conforme a espécie, é comprida ou redonda, branca ou amarela) - podemos fazer saladas cruas, aliás, esta é a melhor maneira de aproveitamento de todos os seus nutrientes.
COMPOSIÇÃO : - Sais minerais ( - cálcio; -  ferro; - potássio);  - Proteínas (poucas); - Gorduras; - Vitaminas B1, B2 e C (mais nas folhas);  - Ácidos aromáticos (que lhe dão sabor forte e picante); - Fibras.
VALOR CALÓRICO : 100 gramas: Cru -  Fornece cerca de 35 calorias;  Cozido - 25 calorias.
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS:
-          Elimina a retenção de líquidos no organismo;
-    Purifica o sangue;
-    Ativa o metabolismo;
-   Alivia a tosse, a bronquite e a asma, a partir de um xarope, preparado com seu suco, feito com a raiz, cortada em rodelas;
-    Atua contra os cálculos da vesícula biliar, quando feito um suco do nabo branco;
-   Inflamações intestinais crônicas são combatidas com a raiz do nabo branco, preparando-se um caldo ou mesmo uma sopa e bebendo-se duas xícaras das de chá, durante o dia;
-   Preparado em forma de cataplasma, depois de cozido, é eficaz contra frieiras e inflamações;
-  Contém alguns compostos sulfurosos protetores contra alguns tipos de câncer.
Observações : 1 - Pode causar flatulência e distensão do abdome; 2 – Contém substâncias que podem agir na produção de hormônios da glândula tireoide.



22.10.16

MANDIOCA (AIPIM / MACAXEIRA)

ORIGEM :  A mandioca já fazia parte da alimentação de várias tribos indígenas na época do descobrimento do Brasil; é chamada de “pão dos índios”.
LENDA INDÍGENA : Conta uma lenda, que a filha de um chefe guerreiro apareceu grávida, sem ter mantido nenhum contato com um homem. Dessa índia virgem, nasceu uma criança totalmente diferente das demais: muito branca e também muito precoce, que tinha o nome de Mani. Depois de um ano, essa criança morreu e foi enterrada no terreno da própria casa, sendo a sua sepultura regada diariamente, conforme mandava a tradição daquele povo. Após algum tempo, na sepultura nasceu uma planta, que cresceu rápido. Na sequência, a terra rompeu-se, mostrando o fruto, que muitos acreditaram ser a própria Mani. Então comeram esse fruto, chamando-o de mani-oca, querendo dizer “a casa de Mani” – gostaram tanto, que passou a ser um alimento bastante consumido pelas demais tribos, daí estendendo-se para outras regiões.                                               
OUTROS NOMES : Dependendo da região do País, esta hortaliça recebe os seguintes outros nomes: -macaxeira (região nordeste); - aipim (cariocas e parte da região sudeste); - manduba ou mandubimana ( região norte)                                                                                                                         
GRUPOS : Há dois grandes grupos de mandioca: 1 - Mandioca-mansa ou mandioca-doce; 2 - Mandioca-amarga ou mandioca-brava, conforme a quantidade de ácido cianídrico – substância tóxica – que cada uma delas contenha. Dos 2 grupos, a Mandioca-doce, também conhecida como aipim ou macaxeira, é comestível, portanto, não tóxica. A outra, a Mandioca-brava, é muito tóxica e, sem o tratamento para eliminar o veneno (ver adiante como fazer isso), pode ser fatal.
TIPOS : Há, ainda, a considerar os seguintes tipos:
-          Vassourinha- pequena e fina, com miolo bastante branco - cozinha rápido e por igual;
-        Amarela ou gema: com casca carnosa e miolo amarelado, que fica mais escuro quando cozida.; também cozinha rápido;
-          Cuvelinha -  fácil de ser cultivada, é uma das variedades mais apreciadas;
-          Manteiga - pequena e bastante tenra, também tem um sabor muito agradável.
MODO DE COMPRAR Embora quase nenhum vendedor aceite esta tática, é aconselhável, ao escolher a peça que vai comprar, cortar um pedaço da mandioca, a fim de ver o estado interno, o miolo. O ideal é que este tenha cor uniforme, isto é, completamente branco ou todo amarelo, dependendo da variedade. Não deve ter manchas escuras, seja na extremidade ou na parte interna. Além disso, esta parte interna, deve estar ligeiramente úmida, e a casca deverá soltar-se facilmente. 
QUANTIDADE: É recomendável comprar meio quilo para 4 pessoas.
MODO DE CONSERVAR  O ideal mesmo é consumir logo após comprá-la, lembrando ainda que não se deve guardar por mais de dois dias, pois é uma raiz muito frágil; se precisar guardar por um tempo superior, convém conservar numa vasilha com água, na geladeira.
-          Umidade:  É preciso ter muito cuidado quando for guardar, porque a tendência é a peça escurecer muito rapidamente. Para evitar isso, é aconselhável, ao contrário da maioria das hortaliças, mantê-la num ambiente com boa umidade, porém, evitando-se as temperaturas muito baixas, pois ocorrerá uma grande desidratação, o que levará a uma deterioração, principalmente se passar de uma semana;
-        Congelamento: Deve-se remover a casca, cortar em pequenos pedaços e guardar num saco plástico, podendo ficar assim durante meses no congelador ou freezer; é fácil encontrar nos supermercados e mercearias o produto já congelado;
-       Manter em imersão na água: É uma boa alternativa, remover a casca e deixar numa vasilha com água, cobrindo-a totalmente, até que prepare para o consumo, que deve ser logo em seguida, como já foi dito;
MODO DE PREPARAR - A forma mais usual é cozinhar em água e sal; - Colocar a mandioca somente quando a água estiver fervendo; - Não tampar a panela, para que o ácido cianídrico desapareça. Tempo de cozimento: Quando a mandioca é de boa qualidade, bastarão, apenas, 15 ou 20 minutos. 
MODO DE CONSUMIR à É um alimento bastante versátil, podendo ser usado também das seguintes maneiras:
-            Em forma de farinha;
-          Frita (no óleo de coco);
-          Pão;
-          Cuscuz;
-          Polvilho;
-          Tapioca;
-          Bolos e bolinhos;
-          Torta;
-          Pudim;
-          Ensopado;
-          Salada;
-          Farofa;
-          Purê;
-          Sopa;
-          Nhoque;
-          Paçoca;
-          Polvilho Doce ou Azedo (com este, prepare-se o famoso pão-de-queijo mineiro);
-          Tucupi (prato típico da Amazônia: água da mandioca + sal + alho).
OBS.:  Por ser muito calórica, deve ser evitada por  pessoas: -  que estejam fazendo regime para emagrecer; - que não queiram engordar, porque tem grande concentração de carboidratos (cerca de 80%); - que sejam diabéticas. Pelo mesmo motivo, sendo ótima fonte energética, deve ser consumida pelos desportistas em geral.
COMPOSIÇÃO :  - Vitaminas: - do complexo B; - C; - Sais minerais: - Cálcio; - Fósforo; - Ferro; - Potássio; - Tem poucas proteínas;  - Quase nenhuma gordura; - É rica em fibras solúveis .
Folhas : Proteínas bastante digestíveis, quando desidratadas; - Ricas em Vitaminas: -  A; - B1; - B2; - Sais Minerais: - Cálcio; - Zinco; - Magnésio; - Cobre; - Ferro.
VALOR CALÓRICO :  100 gramas de mandioca cozida fornecem 119 calorias.                           
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS:
-        Farinha: -Com ela, preparam-se cataplasmas para debelar abscessos, inflamações superficiais e até mesmo queimaduras leves;
-         Raiz cozida: - Eficiente coadjuvante no combate a diarreias (torna as fezes mais rijas);
-      Mingau: - Recomendado para crianças, convalescentes em geral, e também para pessoas idosas.




MOSTARDA
CARACTERÍSTICAS:
-          FRESCA: Tem sabor bastante amargo, cujas folhas são confundidas com as do brócolis, tanto no tamanho como na forma; a maneira de distinguir, é observar o tipo de flores da mostarda (amarelas e que nascem da haste principal da planta); 
-       DESIDRATADA: Usada para fabricar um condimento, de sabor bem picante. É adicionada a vinho ou vinagre, e outros temperos, com sabor variando entre o extra-forte, suave e  médio, bem como na cor, que poderá ser branca, negra ou marrom
MODO DE COMPRAR : Pode ser encontrada no comércio, das seguintes maneiras: - frescas (hortaliça), em maços: não deve ter folhas amareladas e/ou murchas;  - desidratada; - em pó.
MODO DE CONSERVAR  :  Acondicionar em saco plástico e colocar na geladeira  –  assim guardada, ela dura cerca de uma  semana.
MODO DE CONSUMIR : Ela pode ser consumida crua, bem picadinha, em saladas; - cozida; - em tortas; - em sopas; - em sanduíches, mas é preciso cuidado, quando misturar com outros alimentos, porque o seu sabor muito forte, pode sobressair.  
COMPOSIÇÃO : Rica em sais minerais (- Cálcio; - Fósforo; - Ferro); - Vitaminas (A,; - Complexo B (B1, B2 e B5);      - C; - Fibras
VALOR CALÓRICO : Cem gramas, fornecem 31 calorias apenas.
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS : Sua ação pode ser antisséptica, digestiva ou desinfetante.

8.10.16

LENTILHA

ORIGEM: É usada desde a Antiguidade, sendo um dos primeiros vegetais cultivados pelo homem e, ainda hoje, é muito apreciada, principalmente na Europa, Oriente Médio e Índia. Na região, onde hoje é a Síria, foram encontradas lentilhas em sítios arqueológicos, que datam de 9.200 a.C. a 7.500 a.C.
Obs.:  Atualmente, Turquia e Índia são os maiores produtores do mundo, sendo que, na Índia, em primeiro lugar está o arroz, seguido da lentilha, como os alimentos mais consumidos.
TIPOS: Marrom, verde, amarela e vermelha (ou rosa).
COMO PREPARAR: Deixar de molho algum tempo antes de usar, no mínimo, por 6 horas ou por cerca de 12 horas.Convém aproveitar a água em que ficou de molho, para cozinhar depois, pois mantém o sabor e não perde nutrientes. Não convém usar panela de pressão para cozinhar as lentilhas, pois o tempo de cocção já é, normalmente, baixo. Se ficar de molho,  bastam 20 minutos e sem ficar de molho é, pelo menos, o dobro do tempo.
MODO DE CONSUMIR:
Marrom: é servida quente ou fria, em salada, acompanhada de arroz ou com molho e massas; 
-Verde: idêntica à lentilha marrom;
- Amarela: muito usada em pratos indianos;
-Vermelha: após cozinhar, fica com uma consistência mais cremosa, podendo ser usada em cremes, sopas, ensopados, cozida com arroz, em risoto, salada ou cozida.
Obs.: Para evitar a formação de gases intestinais, é aconselhável não cozinhar as lentilhas na água em que ficaram de molho..
COMPOSIÇÃO:  A lentilha tem uma proporção de 60% de carboidratos e 25% de proteínas, contendo também amido, fibras solúveis, antioxidantes, vitaminas: A e do Complexo B, e sais minerais: ferro, potássio e zinco. 

VALOR CALÓRICO : 100 gramas = 200 kcal

1.10.16

JILÓ

                         
ORIGEM : Supostamente se originou na África, onde existe em grande quantidade e é chamado de “ovo de jardim”. Geralmente, é considerado como um legume, mas é um fruto da família da berinjela.
MODO DE COMPRAR :  Prefira o que tem os seguintes aspectos: -  liso; - brilhante; - firme; - sem picadas de insetos; - cor verde, de maneira uniforme, pois os de cor amarelada, mostram que já está maduro, desaconselhável para o consumo, porque tem gosto muito amargo e irritante.  A quantidade ideal para comprar é na proporção de meio quilo para 4 pessoas.
MODO DE CONSERVAR : - Lavar bem; - Coloque num saco plástico; - Guardar na gaveta inferior da geladeira, para se conservar por, aproximadamente, 4 dias.                                        
MODO DE PREPARAR : Para que o jiló fique menos amargo é recomendável cortá-lo mergulhado numa vasilha com água.                                                      
MODO DE CONSUMIR : Como já foi dito, o jiló só deve ser preparado e consumido ainda verde, jamais maduro, podendo ser: -  frito em óleo de coco; - cozido; - refogado; - ensopado, ou como a criatividade culinária indicar.
COMPOSIÇÃO : É uma boa fonte de: - carboidratos; - proteínas; - sais minerais como: - cálcio; - fósforo; - ferro; - vitaminas A, C e do complexo B; - ácidos fortes que aumentam a secreção dos sucos gástricos, ajudando assim na digestão dos alimentos. 
VALOR CALÓRICO : 100 gramas de jiló, fornece: - Cru = 38 calorias; - Cozido = 52 calorias; - Refogado = 99 calorias; - Frito = 288 calorias.
INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS:
-           Estimulante do metabolismo do fígado e vesícula biliar;
-             Regula o aparelho digestivo;
-           Eficaz contra a diarreia;
-            É remineralizante;
-           Útil contra resfriado, gripe e febres (cozido e/ou em infusão);
-           Melhora o estado geral das pessoas enfraquecidas;       
-           Eficiente na cura das feridas na boca e na língua.