29.8.09

Sintomas de Câncer de OváriO

O câncer ovariano é silencioso - portanto, leia com atenção:
- Atente para qualquer dor ou desconforto pélvico ou abdominal, vagos mas persistentes problemas gastrointestinais como gases, náuseas e indigestões;

- Vontade de urinar frequente e/ou urgente, sem que tenha alguma infecção;

- Perda ou ganho de peso inexplicável;

- Pelve ou abdome edemaciados (inchados), entumescidos e/ou com sensação de cheio, cansaço anormal, ou mudanças inexplicáveis dos seus hábitos intestinais.

Se esses sintomas persistirem por mais de duas semanas, peça a seu médico uma combinação de exames pélvico/retal, exame de sangue CA-125 e ultrassom transvaginal. O exame de Papanicolau NÃO detecta câncer ovariano.

Os fatores de risco e proteção para câncer de ovário mais conhecidos e que podem ser modificados são:
Dieta
Mulheres que ingerem alimentos ricos em gordura animal (carne, manteiga, leite integral, queijos, natas, banha, creme de leite, lingüiça, salame, presunto, frituras, pele de frango, carne gorda), têm mais chance de desenvolver esse tipo de câncer. Mulheres obesas têm mais chance de desenvolver câncer de ovário.
Manter-se dentro da faixa de peso ideal (veja cálculo de IMC), principalmente após a menopausa, comer dieta pobre em gordura e rica em alimentos de origem vegetal e não ingerir bebidas alcoólicas diminui as possibilidades de desenvolver esse tipo de câncer.
Terapia hormonal
Mulheres que fazem uso de terapia de reposição hormonal para diminuir os sintomas da menopausa têm risco aumentado para desenvolver esse tipo de tumor.
Por isso, mulheres que fazem uso dessa medicação devem fazer com freqüência exames ginecológicos e ecografias (é um exame em que um transdutor - aparelho que emite uma onda sonora e o seu eco é captado pelo mesmo aparelho para gerar uma imagem na tela de um monitor- é introduzido na vagina da paciente assim como um espéculo, e o útero, as trompas e os ovários são visualizados) que controlam as alterações precoces nos ovários.
O intervalo entre um exame e o outro depende do resultado do exame anterior e da presença de outros fatores de risco.

135 comentários:

  1. Eu gostaria de saber qual o risco de pacientes que faz FIV e uso de hormonios tem maior chance de desenvolver esse tumor. Tenho 37 anos e já fiz 4 FIVs e estou sentindo muita fome, engordei,colicas frequentes de pequena quantidade e intermitentes, aumento da frequencia urinaria,alterações intestinais,pelve em alguns dias mais inchados, nauzeas leves,gases,etc. Pode me ajudar?

    ResponderExcluir
  2. Uma pesquisa divulgada no "British Medical Journal" dá um certo alívio a todas que estão passando por um tratamento de reprodução assistida. O estudo, feito na Dinamarca, com 54.362 mulheres, conclui que os tratamentos contra infertilidade não aumentam o risco de câncer de ovário.
    Talvez muitos de vocês nem se lembrem dessa discussão, mas, anos atrás, alguns estudos menores sugeriram que havia essa relação. Como a maioria dos cânceres de ovário tem, como origem, células epiteliais (revestimento do ovário), a hipótese era que a superestimulação dos tratamento levasse a uma alteração dessas células, dando origem ao tumor.
    O estudo da equipe do médico Allan Jensen, da Sociedade Dinamarquesa contra o Câncer, foi realizado com mulheres que se consultaram nos centros de fertilidade da Dinamarca, entre 1963 e 1998. Dessas, 156 tiveram câncer de ovário.
    Os pesquisadores não encontraram um risco potencial de câncer nas mulheres tratadas contra a infertilidade, incluindo aquelas que seguiram dez ciclos de tratamento, ou aquelas que não engravidaram.
    Eles destacaram, porém, que continuam seu acompanhamento, já que muitas mulheres que participam do estudo ainda não atingiram a idade em que esse tipo de câncer é mais frequente -60 anos, em média. O tumor de ovário é relativamente raro e a maioria dos casos é diagnosticada em estágio avançado. A taxa de letalidade chega a 70% em cinco anos, tornando-o um dos tumores mais letais.Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, o médico Rui Ferriani, professor da faculdade de medicina da USP de Ribeirão Preto, disse uma frase muito boa: "Essa notícia deve tranquilizar mulheres que já passaram ou ainda estão em tratamentos de fertilização. Elas já têm tanta preocupação que não precisavam ficar com mais essa na cabeça".
    Falou e disse, dr. Rui!

    ResponderExcluir
  3. minha maé estar sentindo a barriga dela mecher , toda vez que ela come meche tanto que chegamos a pensar que era filho mas nao é, e nao é mioma o que serar? e sente dores nas costas e nos quadris.

    ResponderExcluir
  4. Os sintomas que você descreve lembram a gravidez, mas como você já sabe que não é sugiro que sua mãe se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  5. eu estou sentindo dores constantes na regiao do ovario, não sei bem se pode ser algo ...

    ResponderExcluir
  6. Tenho esses sintomas, minha barriga fica parecendo de grávida, bem oval e minha barriga as vezes fica bem dura cheia de gases. Tenho que tomar luftal. Eu tomo esomeprazol devido a problemas no estomago, como azia e má digestão, tenho uma levíssima gastrite. Essa ultima semana tive do nada diarréia e tive que tomar muito activa e regulardor intestinal. E sempre é assim, prende e depois solta.
    Gostaria de saber se corro o risco de estar com isso ou ter isso futuramente. Tenho 21 anos e acho que sou muito nova pra ter isso. Corro o risco?

    ResponderExcluir
  7. Sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  8. Tudo bem Natália?
    Sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  9. Olá, tenho 42 anos, ja tive 3 filhos e estou com todos os sintomas acima e atraso menstrual de mais de 2 meses, mas acredito que deva esta na fase inicial pelo tamanho do cisto por volta de 3,8cm do lado esq., e estou na espera dos demais resultados dos exames. Minha duvida é: caso tenha que fazer retirada de ovario e ganglio o que modifica em minha vida e corpo?

    ResponderExcluir
  10. Pode sentir-se desconfortável durante os primeiros dias após a cirurgia. Existem alguns medicamentos para controlar a dor. Antes da cirurgia, deverá discutir o plano para aliviar a dor com o médico. Se for necessário, o médico pode ajustar esse plano após a cirurgia.
    O tempo até à cicatrização e o período de recuperação variam de mulher para mulher. Ficará internada alguns dias no hospital e podem passar-se várias semanas até conseguir retomar as suas atividades normais.
    Se ainda não atingiu a menopausa, a cirurgia poderá provocar-lhe ondas de calor, secura vaginal e suores noturnos. Estes sintomas são provocados pela perda súbita de hormônios femininos. Fale com o seu médico sobre os seus sintomas, para que seja desenvolvido um plano de tratamento. Existem fármacos que podem ser úteis. A maioria dos sintomas desaparece ou diminui com o tempo.

    ResponderExcluir
  11. TENHO 27 ANOS, SOU VIRGEM E NUNCA FUI AO GINECOLOGISTA. ESTOU COM DORES DO LADO ESQUERDO Q IRRADIA PARA AS COSTAS E UM POUCO DE GASES. MESTRUO NORMAL, POREM ESTOU GORDINHA E TENHO BARRIGA. ESTOU COM MTO MEDO DE IR AO MEDICO E DETECTAR O PIOR. SERA Q CORRO MTO REISCO DE SER CANCER?

    ResponderExcluir
  12. A consulta ao ginecologista, além de necessária a partir dos 12 anos, não é nenhum bicho-de-sete-cabeças.
    Ao contrário do que se imagina, a primeira consulta ao ginecologista não é nenhum “bicho-de-sete-cabeças”. É preciso saber que, além de ser importante para garantir a boa saúde, a visita a este profissional é uma ótima oportunidade para poder tirar da gaveta todas aquelas dúvidas que ficam rondando a cabeça nesta idade.
    NA SALA COM O DOUTOR
    O QUE ACONTECE NA PRIMEIRA CONSULTA?
    É mais um “bate-papo” para que o ginecologista possa lhe conhecer melhor. Ele faz perguntas relacionadas a doenças de infância, enfermidades na família, hábitos de vida (alimentação, sono, atividades físicas etc.), primeira menstruação, presença de cólicas e a regularidade dos ciclos menstruais (se você tem menstruado todo mês, se o fluxo é pouco ou muito intenso, se dura a mesma quantidade de dias todos os meses....). É essencial sempre dizer a verdade, porque é por meio das suas respostas que o seu médico fará uma avaliação correta, indicando sempre o que for melhor para você e, conseqüentemente, para a sua saúde e bem-estar.
    E SE O MÉDICO ACHAR A MINHA PERGUNTA BOBA?
    Não é preciso ter medo de perguntar o que quiser, mesmo aquelas questões que lhe pareçam “bobas”. Afinal, diante de você estará alguém preparado e disposto a te ouvir. Esta é uma ótima oportunidade para descobrir tudo aquilo que você não perguntou e nem teve coragem de perguntar para sua mãe ou suas amigas, por alguma razão.
    QUANDO A PACIENTE É VIRGEM
    Após se despir, a roupa é trocada por um avental ou “bata” com abertura na frente para lhe proporcionar maior conforto. Com você deitada em posição ginecológica (com as pernas erguidas e separadas), o médico irá avaliar:
    AS MAMAS: apalpa o local para verificar se existe alguma alteração. O
    ABDÔMEN: observa se o volume está normal.
    A VULVA: verifica alterações, observando o desenvolvimento dos pêlos pubianos, dos pequenos e grandes lábios. O exame é feito sem provocar dores.
    ANTES DA CONSULTA
    QUAL A MELHOR IDADE PARA IR AO GINECOLOGISTA?
    Não existe uma idade certa, porém, segundo especialistas, o ideal é que a consulta seja logo no início da puberdade (pré-adolescência), para que o médico possa acompanhá-la desde cedo. A visita também é aconselhada quando há alguns incômodos: cólicas, secreção vaginal, caroços e dores nos seios, mudanças na menstruação, entre outros. É bom anotar: o adiamento da primeira consulta poderá trazer conseqüências, como o atraso no tratamento de problemas que já estejam se desenvolvendo.
    E SE FICAR COM VERGONHA?
    Ok! É natural que exista certo receio, afinal, muitas mulheres temem a idéia de revelar sua intimidade. Mas o ginecologista é um profissional preparado, com sensibilidade para respeitar e entender todas estas expectativas. Escolha um médico que lhe deixe à vontade. Não há razão para temores, o importante é não ter medo de se cuidar.
    O QUE É MELHOR: IR A UM MÉDICO OU MÉDICA?
    A palavra aqui é “confiança”. Não importa o sexo do profissional. O mais importante é buscar um médico em quem você confie e com o qual se sinta à vontade.

    ResponderExcluir
  13. Tenho um corrimento que parece um leite moça, liquido que vem saindo sempre.fui ao meu ginecologista e me passou uma pomada local por 7 dias e um comprimido.Ñ adiantou nada voltei lá e passou tudo de novo.Mas ele só vez um exame com um cotonete na vagina e mais nada.Ñ me apaupou minha mamas e nem o volume de meu abdomem.Tenho um certo descorto abaixo da bexiga.tenho 41 anos de idade estou muito preocupado.

    ResponderExcluir
  14. Olá, tenho 26 anos, sou virgem, nunca fui no ginecologista, porém, sinto umas dores no abdomem como se tivesse cheio..o que será?

    ResponderExcluir
  15. Por isso a necessidade de saber quem é o médico com quem você está falando e se está procurando um bom ginecologista. Então, se estiver querendo esclarecer mais dúvidas, procure a orientação de alguma confidente, que poderá lhe indicar um bom médico ou até mesmo um que conheça um bom ginecologista.

    ResponderExcluir
  16. Em caso de dúvidas o mais sensato a fazer é consultar um clínico geral, ele poderá dar uma guia para que você vá a um ginecologista e não corra riscos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tenho um cisto hemorrágico no ovário esquerdo.Oque vem a ser isso?quais os risco que corro em ter?

      Excluir
  17. Olaaa! Nao sei o que se passa comigo minha vagina esta inchada e sinto dores! Tenho 26 anos e sou virgem. Nao sinto coceira so que tem corrimento e tenho muito medo de ir ao ginecologista e ser algo grave, o que sera?

    ResponderExcluir
  18. Um cisto no ovário é qualquer acúmulo de fluidos envolvidos por uma parede fina dentro de um ovário. Qualquer folículo ovariano que seja maior que em torno de 2 centímetros é considerado cisto. Um cisto no ovário pode ser pequeno como uma ervilha ou tão grande quanto uma laranja. A maioria dos cistos no ovário são funcionais em natureza e não causam prejuízos. Nos Estados Unidos os cistos nos ovários são encontrados em praticamente todas as mulheres antes da menopausa e em até 14,8% pós-menopausa.
    Os cistos no ovário afetam mulheres de todas as idades. Porém, eles ocorrem mais comumente em mulheres em idade reprodutiva.
    Cisto hemorrágico é um tipo de cisto funcional. Ele pode ocorrer quando um vaso sanguíneo bem pequeno na parede do cisto se rompe e o sangue entra no cisto. Pode estar presente dor abdominal em um lado do corpo. Ocasionalmente o cisto hemorrágico pode romper com sangue entrando na cavidade abdominal, o que causa muita dor. Geralmente não é preciso cirurgia, mesmo quando o cisto hemorrágico se rompe.
    Os cistos que persistem por três ciclos menstruais ou ocorrem depois da menopausa, podem indicar doença mais séria e devem ser investigados, especialmente se há casos de câncer do ovário em membros da família. Tais cistos podem requerer biópsia cirúrgica. Para casos mais sérios de cisto no ovário pode ser necessária cirurgia. Algumas cirurgias podem remover o cisto sem danificar os ovários, enquanto em alguns casos é necessária a remoção de um ou ambos os ovários.

    ResponderExcluir
  19. Vagina edemaciada (inchada) e corrimento (leucorréia) costumam ser sintomas de vaginite. Sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.
    A consulta ao ginecologista, além de necessária a partir dos 12 anos, não é nenhum bicho-de-sete-cabeças.
    Ao contrário do que se imagina, a primeira consulta ao ginecologista não é nenhum “bicho-de-sete-cabeças”. É preciso saber que, além de ser importante para garantir a boa saúde, a visita a este profissional é uma ótima oportunidade para poder tirar da gaveta todas aquelas dúvidas que ficam rondando a cabeça nesta idade.
    NA SALA COM O DOUTOR
    O QUE ACONTECE NA PRIMEIRA CONSULTA?
    É mais um “bate-papo” para que o ginecologista possa lhe conhecer melhor. Ele faz perguntas relacionadas a doenças de infância, enfermidades na família, hábitos de vida (alimentação, sono, atividades físicas etc.), primeira menstruação, presença de cólicas e a regularidade dos ciclos menstruais (se você tem menstruado todo mês, se o fluxo é pouco ou muito intenso, se dura a mesma quantidade de dias todos os meses....). É essencial sempre dizer a verdade, porque é por meio das suas respostas que o seu médico fará uma avaliação correta, indicando sempre o que for melhor para você e, conseqüentemente, para a sua saúde e bem-estar.
    E SE O MÉDICO ACHAR A MINHA PERGUNTA BOBA?
    Não é preciso ter medo de perguntar o que quiser, mesmo aquelas questões que lhe pareçam “bobas”. Afinal, diante de você estará alguém preparado e disposto a te ouvir. Esta é uma ótima oportunidade para descobrir tudo aquilo que você não perguntou e nem teve coragem de perguntar para sua mãe ou suas amigas, por alguma razão.
    QUANDO A PACIENTE É VIRGEM
    Após se despir, a roupa é trocada por um avental ou “bata” com abertura na frente para lhe proporcionar maior conforto. Com você deitada em posição ginecológica (com as pernas erguidas e separadas), o médico irá avaliar:
    AS MAMAS: apalpa o local para verificar se existe alguma alteração. O
    ABDÔMEN: observa se o volume está normal.
    A VULVA: verifica alterações, observando o desenvolvimento dos pêlos pubianos, dos pequenos e grandes lábios. O exame é feito sem provocar dores.
    ANTES DA CONSULTA
    QUAL A MELHOR IDADE PARA IR AO GINECOLOGISTA?
    Não existe uma idade certa, porém, segundo especialistas, o ideal é que a consulta seja logo no início da puberdade (pré-adolescência), para que o médico possa acompanhá-la desde cedo. A visita também é aconselhada quando há alguns incômodos: cólicas, secreção vaginal, caroços e dores nos seios, mudanças na menstruação, entre outros. É bom anotar: o adiamento da primeira consulta poderá trazer conseqüências, como o atraso no tratamento de problemas que já estejam se desenvolvendo.
    E SE FICAR COM VERGONHA?
    Ok! É natural que exista certo receio, afinal, muitas mulheres temem a idéia de revelar sua intimidade. Mas o ginecologista é um profissional preparado, com sensibilidade para respeitar e entender todas estas expectativas. Escolha um médico que lhe deixe à vontade. Não há razão para temores, o importante é não ter medo de se cuidar.
    O QUE É MELHOR: IR A UM MÉDICO OU MÉDICA?
    A palavra aqui é “confiança”. Não importa o sexo do profissional. O mais importante é buscar um médico em quem você confie e com o qual se sinta à vontade.

    ResponderExcluir
  20. ola meu nome é edilaine (tenho 28 anos)tenho uma pedra na visicula,e fui ao hopital com muita dor eles fizerao uma ecografia abdominal mas eles ficarao preucupados pois meu ovario esquerdo esta muito grande sinto uma dor forti no ovario e nas minhas costas,nao vo aos pes ja faz 5 dias e solto gazes(com dor)e minha vagina esta enchada sinto muita dor pra urina a medica do hospital pediu pra mim fazer uma tras vaginal pra saber melhor mas ainda nao fiz por medo de ser cacer (ajude-me)tire essa duvida de mim eu posso ta com cacer ou sisto no ovario?

    ResponderExcluir
  21. Seus sintomas podem ocorrer em várias patologias: câncer, cisto ovariano e até gravidez. Sugiro que submeta-se a ultrasonografia trans-vaginal porque com o diagnóstico a médica poderá ajudá-la.

    ResponderExcluir
  22. oi bom, eu nunca tive problemas de cólicas e nunca atrasou minha menstruação tive Hpv nic 1 mas esta tudo sobre controle, mas com um tempo tudo ficou estranho minha menstruação veio no dia 20 de agosto como o de sempre, passou 3 dias no 4 dia tive relações com meu marido e no 6 dia minha menstruação veio de novo acompanhado de dores nos seios dores de cabeça e fiquei assim ate o dia 8 de setembro depois disso fiquei boa da menstruação mas as dores nos seios continuaram e quando tenho relaçoes com meu marido sai um pouco de sangue com uma cor escuro feito borra de cafe e um pouquinho de colicas to assim ate hoje tive crise de gazes mas só foi uma vez estou preocupada me ajude por favor o que será isso?

    ResponderExcluir
  23. Muitas mulheres descrevem os sintomas que você citou quando estão nas primeiras semanas de gravidez. Consulte uma ginecologista para não correr riscos.

    ResponderExcluir
  24. estou sentindo este mesmo poblema q esta escrito a cima,
    mas estou com muito medo de procura o medico,por ser tarde de mas oque eu faso.

    ResponderExcluir
  25. A consulta ao ginecologista, além de necessária a partir dos 12 anos, não é nenhum bicho-de-sete-cabeças.
    Ao contrário do que se imagina, a primeira consulta ao ginecologista não é nenhum “bicho-de-sete-cabeças”. É preciso saber que, além de ser importante para garantir a boa saúde, a visita a este profissional é uma ótima oportunidade para poder tirar da gaveta todas aquelas dúvidas que ficam rondando a cabeça nesta idade.
    NA SALA COM O DOUTOR
    O QUE ACONTECE NA PRIMEIRA CONSULTA?
    É mais um “bate-papo” para que o ginecologista possa lhe conhecer melhor. Ele faz perguntas relacionadas a doenças de infância, enfermidades na família, hábitos de vida (alimentação, sono, atividades físicas etc.), primeira menstruação, presença de cólicas e a regularidade dos ciclos menstruais (se você tem menstruado todo mês, se o fluxo é pouco ou muito intenso, se dura a mesma quantidade de dias todos os meses....). É essencial sempre dizer a verdade, porque é por meio das suas respostas que o seu médico fará uma avaliação correta, indicando sempre o que for melhor para você e, conseqüentemente, para a sua saúde e bem-estar.
    E SE O MÉDICO ACHAR A MINHA PERGUNTA BOBA?
    Não é preciso ter medo de perguntar o que quiser, mesmo aquelas questões que lhe pareçam “bobas”. Afinal, diante de você estará alguém preparado e disposto a te ouvir. Esta é uma ótima oportunidade para descobrir tudo aquilo que você não perguntou e nem teve coragem de perguntar para sua mãe ou suas amigas, por alguma razão.
    QUANDO A PACIENTE É VIRGEM
    Após se despir, a roupa é trocada por um avental ou “bata” com abertura na frente para lhe proporcionar maior conforto. Com você deitada em posição ginecológica (com as pernas erguidas e separadas), o médico irá avaliar:
    AS MAMAS: apalpa o local para verificar se existe alguma alteração. O
    ABDÔMEN: observa se o volume está normal.
    A VULVA: verifica alterações, observando o desenvolvimento dos pêlos pubianos, dos pequenos e grandes lábios. O exame é feito sem provocar dores.
    ANTES DA CONSULTA
    QUAL A MELHOR IDADE PARA IR AO GINECOLOGISTA?
    Não existe uma idade certa, porém, segundo especialistas, o ideal é que a consulta seja logo no início da puberdade (pré-adolescência), para que o médico possa acompanhá-la desde cedo. A visita também é aconselhada quando há alguns incômodos: cólicas, secreção vaginal, caroços e dores nos seios, mudanças na menstruação, entre outros. É bom anotar: o adiamento da primeira consulta poderá trazer conseqüências, como o atraso no tratamento de problemas que já estejam se desenvolvendo.
    E SE FICAR COM VERGONHA?
    Ok! É natural que exista certo receio, afinal, muitas mulheres temem a idéia de revelar sua intimidade. Mas o ginecologista é um profissional preparado, com sensibilidade para respeitar e entender todas estas expectativas. Escolha um médico que lhe deixe à vontade. Não há razão para temores, o importante é não ter medo de se cuidar.
    O QUE É MELHOR: IR A UM MÉDICO OU MÉDICA?
    A palavra aqui é “confiança”. Não importa o sexo do profissional. O mais importante é buscar um médico em quem você confie e com o qual se sinta à vontade.

    ResponderExcluir
  26. Olá, me chamo Fátima, faço 42 anos em junho,nunca tive filhos, até o ano passado todos os exames ginecólicos estavam ok.

    Minha última menstruação começou por volta do dia 27/11 e sempre tive ciclo regular 29 dias. Em dezembro não menstruei. fiz 4 betas hcg deram positivo, porém, nas 03 ultrassons não constaram presença de gravidez.

    Segue resumo:

    dia 09/01 - beta hcg = 400.4
    dia 09/01 - ultrassom = ausência gravidez

    dia 12/01 manhã - beta hcg = 629.0
    dia 12/01 à noite sangramento e cólicas (igual menstruação 3 a 4 dias)
    dia 14/01 - ultrassom = ausência gravidez

    dia 29/01 - beta hcg = 1.559.5
    dia 29/01 - ultrassom = ausência gravidez

    Obs: Sintomas de gestação ( seios sensíveis, inchados e pequenos enjoos diminuíram bastante ).

    Pode ser cancer nos ovários?
    Pode ser gravidez anembrionária?

    Quais exames além do beta e ultrassom devo fazer para saber o que há de errado comigo?

    Desde já agradeço.

    Fatima Soares


    dia

    ResponderExcluir
  27. O exame de ultrassonografia é capaz de detectar se existem ou não alterações nos ovários. Os cistos que frequentemente aparecem nos ovários são benignos (com raras exceções), enquanto tumores sólidos necessitam de investigação para afastar uma lesão maligna.
    O diagnóstico também pode ser feito por meio da análise da presença de marcadores tumorais no sangue da paciente, como o CA 125, o CEA ou o beta-HCG. A desvantagem dos marcadores é que eles podem apresentar variações em seus resultados ou não indicar a presença de tumor quando este se encontra em estágio inicial.
    Um nível de Beta-HCG menor que 10 mUI/ml praticamente exclui o diagnóstico de prenhez ectópica.
    Peça a seu médico uma combinação de exames pélvico/retal e exame de sangue CA-125.

    ResponderExcluir
  28. gostaria de saber se um enxame ultra vaginal da pra saber se tem cancer de ovarios.

    ResponderExcluir
  29. O exame de ultrassonografia é capaz de detectar se existem ou não alterações nos ovários. Os cistos que frequentemente aparecem nos ovários são benignos (com raras exceções), enquanto tumores sólidos necessitam de investigação para afastar uma lesão maligna.

    ResponderExcluir
  30. Hoje fui faze uma ultrason trasvaginal,estou com muito medo
    meu ovario direito esta com area cistica medindo 1,2cm pode ser cancer, estou com medo de mostra o medico.

    ResponderExcluir
  31. Os cistos que frequentemente aparecem nos ovários são benignos (com raras exceções), enquanto tumores sólidos necessitam de investigação para afastar uma lesão maligna. Sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  32. Oi tenho 36 anos faço o preventivo todo ano, mas na minha última consulta relatei pra médica os sintomas que sao praticamente todos que descrito no blog ela me disse que bexiga e pediu exame de urina , eu disse a ela que nao é sintomas de infecção de urina , mas fiz e também ultrassom das vias urinária, mas deu tudo normal, então marquei nova consulta e perguntei pra ela se poderia ser cisto no ovário ela me disse que cisto no ovário não era pois não causa dor. Então eu mesma pedi um um ultrassom abdominal pélvica e deu cisto no ovário retro uterino com conteúdo líquido e 7,1 cm agora marquei uma consulta com outra médica esta semana, minha dúvida é devo fazer outros exames tipo us transvaginal e ca 125 , pois estou com muito mal estar. Obrigada

    ResponderExcluir
  33. Sim, você deve solicitar à medica US transvaginal e CA 125.

    ResponderExcluir
  34. há quase dois meses sinto dore abdominais eaqora estou sentindo êenjou fico arrotando de vez em quando achei q fosse prablemas de rins mais a cultura de urina deu negativa.ajude-me tehno34 anos.

    ResponderExcluir
  35. Os sintomas que você descreve enquadram-se no quadro de má digestão. As causas costumam ser:
    * Comer depressa demais sem mastigar direito os alimentos;
    * Beber líquidos durante as refeições;
    * Abusar de alimentos gordurosos e de frituras.

    Se os sintomas desaparecerem com a simples mudança dos hábitos alimentares ou após tomar antiácidos, a indigestão não oferece riscos maiores. No entanto, como você está sentindo isto há quase 2 meses sugiro que procure assistência médica sem demora.
    Dependendo da localização, a dor no abdome pode estar relacionada com algumas doenças:
    * Dor na parte superior do abdome – caso haja alívio após a ingestão de alimentos, pode ser indício de gastrite, úlcera ou simplesmente de azia. Se a dor não desaparecer ou agravar-se após as refeições, pode sugerir cálculos biliares;
    * Dor no médio abdome – sugere síndrome do intestino irritável ou gastrenterite;
    * Dor na parte inferior do abdome – se vier em forma de aperto, pode indicar colite, síndrome do intestino irritável ou, em mulheres, problema pélvico.
    Procure auxílio médico para diagnóstico preciso e tratamento adequado para cada caso.

    ResponderExcluir
  36. olá tenho 18 anos sou virgem, ovulei dia 16/04 até 20/04 após 6 dias depois comecei a sentir umas dores e desconforto no ovário esquerdo acompanhado de um liquido transparente sem odor,
    oque pode ser ? mim ajudem por favor!

    ResponderExcluir
  37. Os sintomas que você descreve lembram a gravidez, mas como você é virgem sugiro que consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  38. Olá tenho 17 anos sou virgem e sinto umas dores no lado esquerdo da barriga não sei bem se é no ovário ou nas trompas etc. essas dores vem acompanhado de gazes não é dores fortes mais incomoda um pouco oque pode ser ?

    ResponderExcluir
  39. olá boa tarde, gostaria de tirar uma duvida
    minha ovulação atrasou um mês sou virgem tenho 18 anos e nesse Período de atraso
    fiz uma Ultra som abdominal e o resultado deu a custa liquida é normal por conta do atraso ? esse liquido vai sair apos minha ovulação ficar regularizada ?

    ResponderExcluir
  40. Os sintomas mais comuns de gases são arrotos, flatulência, inchaço e dor abdominal. Os fatores determinantes são, provavelmente, quanto gás produz o organismo, quantos ácidos gordurosos o corpo absorve, e a sensibilidade da pessoa aos gases no intestino grosso. Sintomas crônicos ou uma doença séria causados por excesso de gases são raros.

    ResponderExcluir
  41. Os cistos funcionais do ovário representam variações fisiológicas das estruturas que normalmente caracterizam o ciclo ovariano e são as causas mais freqüentes dos aumentos dos ovários durante o período reprodutivo de uma mulher. Como o nome está assinalando, não existe uma neoplasia verdadeira (crescimento desordenado de um tecido à custa de mitoses geneticamente não programadas), mas apenas um aumento volumétrico da estrutura devido ao acúmulo esporádico e temporário de líquido na cavidade folicular, ou sangue dentro de um corpo lúteo, ou aumento do número e tamanho de folículos.
    Cisto folicular - É o cisto mais freqüente do ovário. Ele origina-se de um folículo que respondeu anormalmente aos estímulos gonadotróficos (hormônios produzidos pela hipófise para estimulação ovariana) não ovulando e acumulando uma maior quantidade de líquido folicular, ou pela falha de um folículo não dominante de sofrer o processo natural de atresia. A maioria é assintomática e constituem um achado ocasional durante um exame pélvico ou uma ultra-sonografia (achado este que é um perigo para a paciente, pois muitas vezes são levadas a uma cirurgia desnecessária). O cisto folicular obrigatoriamente regride dentro de quatro a oito semanas, pois não é uma neoplasia. A conduta, portanto é expectante. Se for praticada a punção e esvaziamento do cisto sob visualização ultra-sonográfica, se for ressecado por vídeo laparoscopia ou laparotomia, se for injetado uma solução alcoólica ou hipertônica dentro do cisto, se for cauterizado a lazer, a paciente ficara “curada”, porém, se nada for feito, ficará curada da mesma maneira, sem riscos, sem mutilações e sem ônus.

    ResponderExcluir
  42. Eu tenho 15 anos e estou sentindo muita dor no ovario direito,é uma dor em que n consigo urinar direito e me identifiquei com alguns dos sintomas o que devo fazer?

    ResponderExcluir
  43. Sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  44. oi meu nome econceiçao tenho dor na costa no ovario e no seios mesmo quando minha menstruaçao acaba vivo na base de remedio sera que estou entrando na menopausa porque ja tenho 39 e menstruçao veio muito cedo com 11

    ResponderExcluir
  45. Não existe relação entre a primeira menstruação e a idade da menopausa. Sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  46. Boa noite, me identifiquei com alguns sintomas descritos. Tenho 25 anos e sinto dores do lado esquerdo nas costas, indigestão algumas vezes (que vem mais na parte da manha), vontade de urinar freqüentemente, mau estar, as vezes da azia tbm, mais sao sintomas que vem e dps de um tempo some, nao fico o dia todo assim, tem dias que da vontade de desmaiar de tanto mau estar. Depois vem uma fome intensa qndo fico passa a indigestão. Sofri um aborto há 1 ano e meio, tava de 8 semanas. Eu corro risco de ter adquirido um câncer no ovário?

    ResponderExcluir
  47. Seus sintomas podem ocorrer em várias patologias:
    • Constipação
    • Síndrome do intestino irritável
    • Alergias ou intolerância alimentar (como intolerância à lactose)
    • Intoxicação alimentar
    • Apendicite
    • Aneurisma da aorta abdominal
    • Bloqueio ou obstrução intestinal
    • Câncer do estômago, cólon e de outros órgãos
    • Colecistite (inflamação da vesícula) com ou sem cálculos biliares
    • Suprimento sanguíneo reduzido aos intestinos (intestino isquêmico)
    • Diverticulite
    • Azia, indigestão ou refluxo gastroesofágico
    • Doença inflamatória do intestino (doença de Crohn ou colite ulcerativa)
    • Cálculos renais
    • Pancreatite (inchaço ou infecção do pâncreas)
    • Úlceras
    • Gestação
    Sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  48. por favor, quero saber do risco que cisto complexo tem de ser cancer, obrigada. meu nome é luciana

    ResponderExcluir
  49. Oi, tenho 19 anos e quando estou no período da ovulação sinto dores sempre no ovário esquerdo. Dessa vez além da dor estou com muitas gases e dor nas costas. Marquei pra ginecologista, mas consulta só daqui a 2 meses. Estou super preocupada, eu sério que dor na ovulação e normal, mas dessa vez estou von muitas gases, a dor não eh forte, mas incômoda. Eu tenho perigo de estar com alguma doença seria? Fique com Deus.

    ResponderExcluir
  50. Cistos simples de ovário são os que têm pequena dimensão (< 8 cm), conteúdo cístico, cápsula fina, unilobulado, ausência de septação ou septo fino, e sem vegetações intracísticas. No entanto, na presença de alguma das características mencionadas, passamos a denominar o cisto como complexo, que também não é indicativo de certeza de malignidade.

    ResponderExcluir
  51. Os sintomas mais comuns de gases são arrotos, flatulência, inchaço e dor abdominal. Os fatores determinantes são, provavelmente, quanto gás produz o organismo, quantos ácidos gordurosos o corpo absorve, e a sensibilidade da pessoa aos gases no intestino grosso. Sintomas crônicos ou uma doença séria causados por excesso de gases são raros.

    ResponderExcluir
  52. ESTOU COM CORRIMENTO AMARELADO SEM CHEIRO, SEM COÇEIRA, SEM ARDOR, POREM COM MUITO GAZES, ABDOMEM LEVEMENTE INCHADO E DORES NAS COSTAS, RESPONDA-ME POR FAVOR, POIS ESTOU MUITO PREOCUPADA. AH, SINTO TAMBEM DORES NA REGIÃO DOS QUADRIS, TIPO DOR LOMBAR.

    ResponderExcluir
  53. Oi tenho 28 anos e fiz um exame de rotina de ultrassom abdominal total e deu que meu ovário esquerdo teve um aumento volumétrico com aumento de volume a esquerda. Minha menstruação vem normalmente, nunca tive filhos. Ainda farei exames de sangue e urina, mas estou muito preocupada. Será que tenho alguma doença grave?

    ResponderExcluir
  54. A leucorreia (corrimento) pode ser sinal de candidíase ou uma doença sexualmente transmissível.
    Dores lombares podem ocorrer precocemente na gravidez, entretanto são mais comuns no terceiro trimestre. Outras possibilidades são: sintoma de TPM, estresse, problemas na coluna, desgaste físico ou mental.
    Em vez de culpar os gases ou a TPM, se a distensão abdominal incomodá-la por mais de duas semanas, vá ao ginecologista. Um estudo da Universidade de Bristol, na Inglaterra, listou sete sintomas que antecipam a descoberta do câncer de ovário. Distensão no abdômen, dor abdominal constante e aumento da frequência urinária são os principais. É verdade que o sintoma talvez tenha outras causas (apendicite, inflamação na vesícula, diverticulite e cisto nos ovários), mas a hipótese de câncer deve ser considerada. Embora corresponda a 1/3 dos tumores ginecológicos, o câncer de ovário em geral só é descoberto em estágio avançado porque por muito tempo se acreditou que ele era um inimigo silencioso.

    ResponderExcluir
  55. Na maioria das vezes, um ovário aumentado é um sintoma de cistos ovarianos, síndrome dos ovários policísticos ou câncer de ovário.

    ResponderExcluir
  56. Estou sentindo uma dor na parte inferior da minha barriga no lado esquerdo, não é uma dor muito forte, ela me incomoda um pouco e ela apareceu ontem, sendo que já tive essa dor antes e passou, mas agr voltou de novo, e sinto muitos gases. Minha menstruação ta atrasada há 15 dias fiz exame de sange ra ver se to gravida e ver meus hormonios, e está tudo certo e nao estou gravida. Vou fazer um ultrassom transvaginal mes que vem, mas eu to muito nervosa com isso. pode me dizer o que pode ser mais ou menos?

    ResponderExcluir
  57. Sugiro que aguarde o ultrassom para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  58. Olá boa noite tenho 31 anos, e tô sentindo dores nas costas, que antes era na altura os ombros, e agora concentra na região lombar, em vez em quando sinto umas pontada na região superior do abdome mas n chega a ser intenso, fiz uma usg do ab total e deu tudo normal, recentemente tbm fiz o preventivo e deu uma discreta inflamação, mas sinto uma dor em cima da vagina que é como se ei tivesse com a bexiga cheia, mas n é, fiz exame de sangue e inclusive de urina com urocultura e deu normal tbm, com esses sintomas é motivo de me preocupar com algo mas grave? estou preocupada qualquer resposta com relação ao que relatei será de grande importância.

    ResponderExcluir
  59. As dores lombares podem ocorrer precocemente na gravidez, entretanto são mais comuns no terceiro trimestre. Outras possibilidades são: sintoma de TPM, estresse, problemas na coluna, desgaste físico ou mental.  Se você tem pontadas dolorosas a meio caminho entre os seus períodos menstruais, você pode estar sentindo seu corpo ovular. Durante a ovulação, o ovário libera um óvulo com um pouco de fluido e de sangue, o que pode irritar o revestimento do abdome. Isso é chamado de mittelschmerz das palavras em alemão para "média" e "dor", porque ocorre no meio do ciclo. A dor pode mudar de lado a partir de mês para mês. Não é prejudicial e geralmente desaparece dentro de algumas horas.
    Na cistite intersticial existe uma inflamação crônica da parede da bexiga que vem acompanhada de dor pélvica, urgência urinária e polaciúria. Pacientes podem se queixar também de dor uretral, vaginal, retal, lombar e dor nas coxas.
    Clinicamente, tanto a dor musculoesquelética como a dor visceral são surdas, mal localizadas e podem ser alteradas com o ciclo menstrual. Qualquer estrutura inervada pelas raízes de T 12 - L 4 (vértebras, músculos, por ex) pode causar dor no abdômen inferior. No exame, a pressão digital de pontos no abdômen, na região lombar ou na vagina provoca a dor referida. O tratamento inclui a injeção de anestésico local nos pontos gatilho. Os antidepressivos tricíclicos também podem ajudar.
    Na endometriose os sintomas podem ser dismenorréia (cólica menstrual), dor na bexiga, dor lombar, dor retal, dor irradiada para as coxas, períneo ou vagina.
    Dor em "pontada" ou "agulhada" em pontos específicos do abdome, que muda de lugar e é desencadeada por mudança de posição e permanece por poucos minutos: pode ser um sintoma de gases intestinais. A redução da motilidade da musculatura lisa, associada à compressão do intestino e deslocamento do mesmo pelo útero aumentado poderá provocar o aparecimento de constipação intestinal e hemorróidas. Para evitar esse incômodo, consuma alimentos ricos em fibras e beba bastante água, faça massagem abdominal e movimentação abdominal e pélvica
    As atividades de trabalho, os calçados, alterações posturais, ganho excessivo de peso e fraqueza muscular influenciam diretamente a lombalgia. O tratamento pode ser feito com manipulação, exercícios e eletroterapia, sendo indicado pelo fisioterapeuta de acordo com cada caso.

    ResponderExcluir
  60. olá.gostaria de saber se um cisto septado grosseiro que tem baixa resistencia ao doppler colorido 0.43 IRM, de 6 cms, , um volume de ovario de 51 cm cubico, é indicação de cirurgia, ou não.

    ResponderExcluir
  61. O tratamento do cisto ovariano depende de:

    Tamanho e tipo do(s) cisto(s)
    Sua idade e se você está em idade fértil ou se você já entrou na menopausa
    Vontade de ter filhos
    Estado geral de saúde
    Gravidade dos sintomas

    Alguns cistos desaparecem após 1 ou 2 meses sem qualquer tratamento. Em outros casos, pode-se tentar tratamento com hormônios para suprimir o cisto. Se o cisto não responder ao tratamento, pode ser necessária a realização de cirurgia para removê-lo. Se o cisto for descoberto precocemente, pode ser removido sem retirar o ovário. Algumas vezes o ovário precisa ser removido e a cirurgia podem incluir a remoção das trompas de Falópio e também do útero.

    ResponderExcluir
  62. oi meu nome eh Bianca tenhu 15 anos e não sou mais virgem. estou sentindo uma dor do lado esquerdo perto dos ovários oque pode ser? me ajudem por favor.

    ResponderExcluir
  63. Na maioria das vezes pode ser Doença inflamatória pélvica ou Cisto ovariano. Sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  64. Tenho consultado o ginecologista por varias vezes mas eles sempre dizem que eh uma doenca passageira mas os sintomas tem se agravado dia apos dia, ja nao sei mais o que fazer. Ja fiz ecografia por duas vezes mas os ginecolistas dizem estar tudo bem comigo. Tenho sentido dores abdominais constantes, dores nas costas, cansanco constante, emagrecimento involuntario, inchanco no abdomen, e nauseas...



    Por favor, estou deseperada. Me ajudem. Dercia

    ResponderExcluir
  65. Tenho 13 anos, virgem. Minha mensruaçao estava 3 meses atrasada, depois comecei a sentir dor pelvica que durou alguns dias, quando corro mesmo que pouco sinto falta de ar e minhas costas queimam ( Nao tenho problema se obesidade, 1,54 e 55 kgs ) sinto sono excessivo e muita vontade de urina ffrequentemente ( nao houve mudança na cor , transparente amarelado um pouco ) sono excessivo e alguns dias sinto fome excessiva todavia algumas vezes ( pra ser mais precisa, dias ) sinto me cheia, e nao consigo comer, minha mesntruaçao atrasou novamente, o ginecologista passou alguns exames como ultrassonografia e alguns exames de sangue, infelizmente nao irei poder bater a ultra agora. Entao, com um pouco de curiosidade eu vim aqui, o que pode ser? ( tambem tive aumento de gases)

    ResponderExcluir
  66. Tudo bem Dercia?
    Peça a seu médico uma combinação de exames pélvico/retal e exame de sangue CA-125.

    ResponderExcluir
  67. Os sintomas que você descreve lembram a gravidez, mas como você é virgem sugiro que se submeta a ultrasonografia porque com o diagnóstico a médica poderá ajudá-la.

    ResponderExcluir
  68. Ola .. isto e um pouco complexo.. tenho 22 anos.. e um filho de 2 anos. De a um ano para ca.. tenho imensas dores ao fundo da barriga.. minha mestruaçao causa muita dor.. o que antes nao acontecia.. relaçoes sexuais s e quase impossivel d fazer com tanta dor... engravidei recentemente mas as 6 semanas sofri um aborto.. tenho regularmente perdas de sangue escuro pastoso... fui ao medico e ele descnfia que seja endometriose profunda.. mas ultimamente quando me enervo, instantaniamente fico com um peso no fundo da barriga e volto a perder o tal sangue escuro... sera isto proprio da doença? Obrigado..

    ResponderExcluir
  69. A endometriose profunda é uma doença grave pois é a forma mais agressiva da doença em que o tecido endometrial alastra-se por uma ampla área, sendo mais espesso que o normal fazendo com que os sintomas clássicos da endometriose sejam exacerbados.
    São sintomas da endometriose profunda:

    Intensa cólica menstrual;
    Menstruação abundante;
    Dor durante a relação ou logo após;
    Intensa dor pélvica de longa data;
    Dificuldade em urinar;
    Dor no fundo das costas;
    Dificuldade em engravidar;
    Sangramento anal na época da menstruação.

    O diagnóstico da endometriose profunda é baseado nos sintomas da doença e na realização de exames de diagnóstico.
    A laparoscopia e a ultrassonografia transvaginal são os exames que mais facilmente conseguem detectar a doença, mas nem mesmo esses conseguem observar as alterações do tecido rapidamente e pode ser necessária a realização de outros exames como a ressonância magnética pélvica.
    O tratamento para endometriose profunda pode ser feito com a toma de medicamentos, para antecipação da menopausa ou cirurgia.
    Na maioria dos casos a realização da cirurgia para a retirada do tecido endometrial é a única forma de tratamento realmente eficaz.

    ResponderExcluir
  70. Hola Marcia sou Alice de 48 anos, estou em busca de conselho e ajuda , tenho mioma de 210m³ .....e cisto de ovario 44,1 cm³ com presença de imagen econegativa em seu interior medindo 3,9 x 3,6 cm fas 1 ano que tirei ultrasonografia transvaginal, nao fis cirugia ainda porque pelo sus infelismente a pessoa ja morreu e ainda nao foi liberado a cirugia, eu estou com medo. aguardo sua resposta....obrigada

    ResponderExcluir
  71. Boa tarde!
    Tenho 18 anos e sou virgem, nunca fui ao ginecologista. Estou com uma dor no ovario esquerdo, sinto enjoo e as vezes me sinto fraca, as vezes a dor é tão forte que nao consigo ficar de pé, o que pode ser ?

    ResponderExcluir
  72. Para acelerar o processo de autorização você pode procurar o Ministério Público que a orientará sobre o que fazer. Com toda esta problemática do ser doente hospitalizado necessitando de intervenção cirúrgica, o profissional que poderá melhor colaborar com o paciente e a equipe é o psicólogo. Sendo um profissional preparado, que tem condições de fazer com que o paciente conheça suas potencialidades , fazendo com que perceba as relações com suas atitudes e suas próprias experiências, sua doença e suas reações no seu contexto de vida. A assistência que o psicólogo presta aos pacientes, faz com que ele esteja consciente dos seus deveres e das suas responsabilidades, não delegando a outros a incumbência de cuidar de si, podendo assim o psicólogo fazer com que o paciente participe mais de seu tratamento.
    Você também pode utilizar técnicas como relaxamento, biofeedback, exercícios e aconselhamento, que ajudam muitas pessoas a usar menos medicação para a dor.

    ResponderExcluir
  73. Dor abdominal, náuseas e fraqueza podem ser sintomas de câncer colorretal. Sugiro que consulte uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  74. oiii Marcia uma pergunta nao sei se vocei va poder me ajudar te esplico eu tive a minha mestruaçao atrazada fiquei uma semana que vinha colicas e se ia tive relaçao com o meu marido e nesse mesmo dia me deseu a minha mestruaçao te conto nao me preveni nem o meu marido estive uma semana mestruando pouco mais acho que foi normal dois dias depois que eu parei de mestruar eu esto sentindo dores no meu ovario esquerdo eu so tenho um ovario tive uma cisto hemorragio anos atraz mais faz mais o menos 6 meses que eu parei com um tratamento de cançer tive linfoma mais agora nao esto tomando neum medicamento esto procupado com essas dorzinha no ovario oque pode ser? obrigado

    ResponderExcluir
  75. Tenho um cisto simples no ovario esquerdo e um complexo no direito passei 3 dias com muita dor sem comr direito e sem dormir poiams nao conseguia deitar nem remedio na veia passava a dor agora estou bem mais esta me dando dor na vagina um pouco de sangramento e dor ao urinar se puder me ajudar estou bastante assustada.obrigada

    ResponderExcluir
  76. Na maioria das vezes pode ser Doença inflamatória pélvica ou Cisto ovariano. Sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  77. Dor vaginal com sangramento e dor ao urinar costumam ser sintomas de doenças sexualmente transmissíveis. Como você já teve 2 cistos ovarianos, sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  78. ola,
    a algum tempo atras fui ao médico por apresentar muita cólica durante os ciclos menstruais. tenho cólicas desde que comecei a menstruar. ha dois anos minha menstruação passou a ser irregular, vindo de dois em dois meses. a médica pediu um ultrasom pelvico que constatou um cisto no ovário direito e o ovário está medindo 21cm. o médico falou na hora do ultrasom. vou demorar a voltar no médico porque me trato pelo sus. estou aflita querendo saber o que eu tenho. o outro ovário está normal. por favor, se puder me dê algum esclarecimento! obrigada

    ResponderExcluir
  79. Um cisto no ovário é qualquer acúmulo de fluidos envolvidos por uma parede fina dentro de um ovário. Qualquer folículo ovariano que seja maior que em torno de 2 centímetros é considerado cisto. Um cisto no ovário pode ser pequeno como uma ervilha ou tão grande quanto uma laranja. A maioria dos cistos no ovário são funcionais em natureza e não causam prejuízos. Nos Estados Unidos os cistos nos ovários são encontrados em praticamente todas as mulheres antes da menopausa e em até 14,8% pós-menopausa.
    Os cistos no ovário afetam mulheres de todas as idades. Porém, eles ocorrem mais comumente em mulheres em idade reprodutiva.

    ResponderExcluir
  80. tenho 48 anos faço 49 este ano....estou com muito medo de ir ao medico...fiquei mestruada dia 10/02...ate dia 13/02,mas sempre fico de 5 a 7 dias...mas parou no terceiro dia...já algum tempo usn dias antes de mestruar sinto leves pontadinhas no ovário esquerdo...esse mês senti bem mais frequente...depois minha mestruação voltou dia 26/02 e ate hoje dia 10/03 estou sangrando ...mas pouco sdempre pouco as vezes parece que vai parar ...fica escuro como borra de café e para levemente depois volta a sangrar mas sempre pouco...minha vontade de urinar esta mais frequente...e tbem estou com gases as vezes,,,dor nas costas como fico nas mestruaçoes comuns..que pode ser isso...nunca tive isso começou esse mês de fevereiro...e minha mestruação sempre foi certa todo mês...e fluxo intenso e muito forte durante 5 dias...estou com muito medo de ir ao medico...por favor me responda...ass MARIA ANGELICA

    ResponderExcluir
  81. Os sintomas que você descreve lembram mioma. Sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  82. Tenho 40 anos e faço exames ginecológicos com frequência. Há 2 anos tive diagnóstico de cisto funcional no ovário direito, porém não fiz acompanhamento. Recentemente em meu retorno habitual, descobri um cisto no mesmo ovário (não sei se o mesmo ou outro), o volume do ovário é menor comparado ao exame de 2 anos atrás, mas o cisto parece ser hemorrágico ou endometriótico. Meu exame CA 125 deu alterado (45 U/ml ). Não sinto dores e meus únicos sintomas são menstruação em intervalos mais curtos (20 dias) e com menor fluxo. Tenho notado maior cansaço e gases (arroto) com alguma frequência.

    ResponderExcluir
  83. Estou com um cisto hemorragico no ovario direito medindo 5,1cm por 6,5cm,estou tomando os remédios que minha gineco receitou, mas a dor continua,será que a opção é só a cirurgia? Estou tentando engravidar ha algum tempo já.

    ResponderExcluir
  84. NAY..
    Marcia boa tarde,tenho 25 anos
    estou sentindo uns sitomas e quero ver o que provavelmente seja.
    Menstruei normal 8 dias quer dizer normal que eu digo por causa dos dias, mas minha mesntruaçao vem com fluxo forte demais, com coagolos e muita colica, esse mes ja veio e depois que a menstruação foi embora estou sentindo dor no ovarios e as vezes da impressao que vou menstruar de novo, minha barriga ta inchada, estou muito cansaça ultimamente e, sonolenta.

    ResponderExcluir
  85. Um cisto no ovário é qualquer acúmulo de fluidos envolvidos por uma parede fina dentro de um ovário. Qualquer folículo ovariano que seja maior que em torno de 2 centímetros é considerado cisto. Um cisto no ovário pode ser pequeno como uma ervilha ou tão grande quanto uma laranja. A maioria dos cistos no ovário é funcional em natureza e não causam prejuízos. Nos Estados Unidos os cistos nos ovários são encontrados em praticamente todas as mulheres antes da menopausa e em até 14,8% pós-menopausa.
    Os cistos no ovário afetam mulheres de todas as idades. Porém, eles ocorrem mais comumente em mulheres em idade reprodutiva.
    Cisto hemorrágico é um tipo de cisto funcional. Ele pode ocorrer quando um vaso sanguíneo bem pequeno na parede do cisto se rompe e o sangue entra no cisto. Pode estar presente dor abdominal em um lado do corpo. Ocasionalmente o cisto hemorrágico pode romper com sangue entrando na cavidade abdominal, o que causa muita dor. Geralmente não é preciso cirurgia, mesmo quando o cisto hemorrágico se rompe.
    Os cistos que persistem por três ciclos menstruais ou ocorrem depois da menopausa, podem indicar doença mais séria e devem ser investigados, especialmente se há casos de câncer do ovário em membros da família. Tais cistos podem requerer biópsia cirúrgica. Para casos mais sérios de cisto no ovário pode ser necessária cirurgia. Algumas cirurgias podem remover o cisto sem danificar os ovários, enquanto em alguns casos é necessária a remoção de um ou ambos os ovários.
    Na maioria das vezes, um ovário aumentado é um sintoma de cistos ovarianos, síndrome dos ovários policísticos ou câncer de ovário.

    ResponderExcluir
  86. Geralmente não é preciso cirurgia, mesmo quando o cisto hemorrágico se rompe.
    Os cistos que persistem por três ciclos menstruais ou ocorrem depois da menopausa, podem indicar doença mais séria e devem ser investigados, especialmente se há casos de câncer do ovário em membros da família. Tais cistos podem requerer biópsia cirúrgica. Para casos mais sérios de cisto no ovário pode ser necessária cirurgia. Algumas cirurgias podem remover o cisto sem danificar os ovários, enquanto em alguns casos é necessária a remoção de um ou ambos os ovários.
    “Cisto no ovário pode engravidar” é uma pergunta que mulheres têm feito, pois se preocupam se isso pode afetar o seu sonho de serem mães. Na realidade o cisto no ovário começa a interferir no bom funcionamento do organismo feminino até mesmo antes de uma gravidez, já que ele pode prejudicar a fertilidade da mulher. Se surgir um cisto e ele for tratado, a resposta à pergunta “cisto no ovário pode engravidar” é sim, por outro lado, se ele não receber a atenção necessária pode causar infertilidade.

    ResponderExcluir
  87. Tudo bem Nay?
    Cerca de 33 milhões de brasileiras sofrem de cólica menstrual, o que compromete até 70% de sua capacidade produtiva, segundo um estudo publicado na Revista Brasileira de Medicina. “Como, no entanto, perdura a ideia de que a dor é inerente à menstruação, a tendência é abusar de anti-inflamatórios, que produzem alívio momentâneo, e demorar até oito anos para buscar tratamento, afirma a ginecologista Rosa Maria Neme, dos hospitais Sírio-Libanês e Albert Einstein, em São Paulo. Só que o incômodo pode ser indício de endometriose, doença em que o revestimento do útero aparece nas trompas, nos ovários e até nos intestinos. Cada vez mais frequente (atinge 15% das brasileiras em idade reprodutiva), ela é a principal causa de infertilidade feminina. Além disso, a condição aumenta o fluxo sanguíneo. Segundo a ginecologista, convém investigar a causa da cólica, mesmo se ela não for intensa a ponto de deixá-la na cama. Basta incomodar por três ou mais meses consecutivos. O atraso no diagnóstico favorece o crescimento dos focos de endometriose, por isso geralmente o distúrbio só é descoberto em estágio avançado.
    Se a distensão abdominal incomodá-la por mais de duas semanas, vá ao ginecologista. Um estudo da Universidade de Bristol, na Inglaterra, listou sete sintomas que antecipam a descoberta do câncer de ovário. Distensão no abdômen, dor abdominal constante e aumento da frequência urinária são os principais. É verdade que o sintoma talvez tenha outras causas (apendicite, inflamação na vesícula, diverticulite e cisto nos ovários), mas a hipótese de câncer deve ser considerada.

    ResponderExcluir
  88. Oii ..eu tenho 18 anos sou virgem e já ta cm quase um ano q eu venho urinando frequentemente tm noites q levanto 4 vezes pra urinar, não tomo água pra não ficar indo no banheiro toda hora, tenho o intestino muito preso, fiz exame d diabete e d urina e ultrassom do abdomen mais nao deu nada, isso ta me incomodando muito.. Gostaria d saber o q devo fazer..

    ResponderExcluir
  89. Tenho 19 anos e sou virgem, sinto dores no lado esquerdo da barriga, e estou com escorrimento amarelado e com um odor muito forte, o que será que é?

    ResponderExcluir
  90. É sempre bom procurar uma ginecologista para saber se tudo está bem com o aparelho reprodutor.

    ResponderExcluir
  91. Corrimentos femininos com coloração forte, que apresentam coceira, dor, queimação ou lesão podem indicar infecções vaginais causadas por bactérias e fungos. Esse tipo de corrimento feminino não é normal e requer tratamento médico.
    O corrimento feminino que apresenta sintomas desagradáveis como coloração típica, mau cheiro, coceira ou ardor normalmente está relacionado a doenças ginecológicas. Entre as causas mais comuns dos corrimentos estão infecções vaginais, reação do organismo a um corpo estranho, vaginite atrófica, comuns em mulheres na menopausa, devido aos baixos níveis de estrogênio, gonorreia, tricomoníase, candidíase vaginal, infecções e outras doenças venéreas (não é o caso das virgens).
    O tratamento para o corrimento feminino vai depender de suas causas. Alguns corrimentos são tratados com dose única de medicamentos, já em outros casos é necessário o uso de antibióticos por até 14 dias, dependendo da gravidade e do agente causador. Porém medidas simples como dormir sem calcinha e usá-las preferencialmente de algodão, não fazer uso diário de sabonetes íntimos e nem usar roupas apertadas, ajudam a evitar o corrimento feminino anormal. É importante também não deixar a calcinha secar no banheiro, pois isso estimula a proliferação de fungos e bactérias.
    O corrimento feminino é fácil de ser identificado, basta observar o fundo da calcinha e o papel higiênico ao se limpar. Consulte um ginecologista para um diagnóstico mais preciso e jamais deixe de fazer os exames femininos preventivos como o Papanicolau, essencial para saúde da mulher.

    ResponderExcluir
  92. ola sou a miriam tenho35 anos .há dois anos fiz laqueadura e agora estou sentindo abdomen inchado e muitas dores principalmente na hora da relação sexual não tenho corrimento.ja fiz vários exames e fui em vários médicos mas todos eles dizem que não tenho nada. o que faço agora?nao aguento mais sentir dores.

    ResponderExcluir
  93. Olá, dores ao redor da entrada da vagina, como se fosse umas furadas de agulha o que pode ser??!

    ResponderExcluir
  94. Você pode sugerir que a ginecologista investigue Doença inflamatória pélvica ou DIP, que é uma infecção que pode ocorrer nas trompas de Falópio, ovários ou útero.
    Isto é frequentemente causado por uma doença sexualmente transmissível, como gonorreia ou clamídia.
    O DIP causa dificuldade para urinar, sangramento menstrual irregular, corrimento vaginal, que muitas vezes tem um odor desagradável, dor durante a relação sexual, febre, fadiga, diarreia e vômitos.
    Um exame pélvico pode ser feito para controlar o corrimento e para verificar se existem protuberâncias. Exames de sangue e urina são feitos para controlar as bactérias que causam a infecção. Em alguns casos, seu médico pode realizar um ultrassom para determinar se os órgãos reprodutores estão inchados, ou se e presente um abscesso. Neste caso, uma laparoscopia pode ser necessária para confirmar estas suspeitas. Após a administração de antibióticos para ajudar a destruir as bactérias que infecciona a área. Muitas vezes é necessário administrar estes fármacos também ao parceiro sexual.

    ResponderExcluir
  95. Dor na entrada da vagina pode ser sinal de vaginismo. Consulte um ginecologista para um diagnóstico mais preciso.

    ResponderExcluir
  96. Tudo bem? Bom, eu tenho 19 anos e tomei anticoncepcional para policistos durante 1 ano e meio. Parei em fevereiro desse ano, pois comecei a não me sentir bem, e pelas cólicas e irregularidades terem voltado. fui na ginecologista em março e fiz uma ultra. Nessa ultra tive como resultado, um cisto hemorrágico no ovário direito com 63,3 cm³. A doutora disse que esse cisto iria desparecer com no máximo dois ciclos, e não foi bem assim. Agr em julho, voltei a ginecologista, ela receitou uma nova ultra pra ver como estava o cisto. Bom, ele está maior com 156,6 cm³ e dessa vez, com o ovário esquerdo tbm aumentado com 14,6 cm³. Como dependo do SUS, infelizmente não consegui ainda retornar pra médica para mostrar esse novo resultado e saber oq fazer daqui pra frente.. se irei tomar remédio.. se será feita uma cirurgia.. não sei. Estou completamente desorientada e com medo. Tenho 19 anos e meio, e morro de medo de perder a funcionalidade do meu ovário. Sua opinião será de grande importância pra me deixar um pouco mais ciente dos meus riscos, diante dessa realidade. Aaah! sinto meu abdome inchado mais que o normal, é claramente visualizado o aumento do lado direito.. fora o mau estar, desconforto e medo que estoure dentro de mim.

    Aguardo super ansiosa sua opinião. Será muito bem-vinda e importante. Obrigada

    ResponderExcluir
  97. Um cisto no ovário é qualquer acúmulo de fluidos envolvidos por uma parede fina dentro de um ovário. A maioria dos cistos no ovário é funcional em natureza e não causam prejuízos. Nos Estados Unidos os cistos nos ovários são encontrados em praticamente todas as mulheres antes da menopausa e em até 14,8% pós-menopausa.
    Os cistos no ovário afetam mulheres de todas as idades. Porém, eles ocorrem mais comumente em mulheres em idade reprodutiva.
    Cisto hemorrágico é um tipo de cisto funcional. Ele pode ocorrer quando um vaso sanguíneo bem pequeno na parede do cisto se rompe e o sangue entra no cisto. Pode estar presente dor abdominal em um lado do corpo. Ocasionalmente o cisto hemorrágico pode romper com sangue entrando na cavidade abdominal, o que causa muita dor. Geralmente não é preciso cirurgia, mesmo quando o cisto hemorrágico se rompe.
    Os cistos que persistem por três ciclos menstruais ou ocorrem depois da menopausa, podem indicar doença mais séria e devem ser investigados, especialmente se há casos de câncer do ovário em membros da família. Tais cistos podem requerer biópsia cirúrgica. Para casos mais sérios de cisto no ovário pode ser necessária cirurgia. Algumas cirurgias podem remover o cisto sem danificar os ovários, enquanto em alguns casos é necessária a remoção de um ou ambos os ovários.
    O exame de ultrassonografia é capaz de detectar se existem ou não alterações nos ovários. Os cistos que frequentemente aparecem nos ovários são benignos (com raras exceções), enquanto tumores sólidos necessitam de investigação para afastar uma lesão maligna.
    Os cistos funcionais do ovário representam variações fisiológicas das estruturas que normalmente caracterizam o ciclo ovariano e são as causas mais frequentes dos aumentos dos ovários durante o período reprodutivo de uma mulher. Como o nome está assinalando, não existe uma neoplasia verdadeira (crescimento desordenado de um tecido à custa de mitoses geneticamente não programadas), mas apenas um aumento volumétrico da estrutura devido ao acúmulo esporádico e temporário de líquido na cavidade folicular, ou sangue dentro de um corpo lúteo, ou aumento do número e tamanho de folículos.
    O tratamento do cisto ovariano depende de:
    - Tamanho e tipo do(s) cisto(s)
    - Sua idade e se você está em idade fértil ou se você já entrou na menopausa
    - Vontade de ter filhos
    - Estado geral de saúde
    - Gravidade dos sintomas
    Alguns cistos desaparecem após 1 ou 2 meses sem qualquer tratamento. Em outros casos, pode-se tentar tratamento com hormônios para suprimir o cisto. Se o cisto não responder ao tratamento, pode ser necessária a realização de cirurgia para removê-lo. Se o cisto for descoberto precocemente, pode ser removido sem retirar o ovário. Algumas vezes o ovário precisa ser removido e a cirurgia pode incluir a remoção das trompas de Falópio e também do útero.
    “Cisto no ovário pode engravidar” é uma pergunta que mulheres têm feito, pois se preocupam se isso pode afetar o seu sonho de serem mães. Na realidade o cisto no ovário começa a interferir no bom funcionamento do organismo feminino até mesmo antes de uma gravidez, já que ele pode prejudicar a fertilidade da mulher. Se surgir um cisto e ele for tratado, a resposta à pergunta “cisto no ovário pode engravidar” é sim, por outro lado, se ele não receber a atenção necessária pode causar infertilidade.

    ResponderExcluir
  98. Olá meu nome é Jaqueline, tenho 19 anos e sou noiva. Bom eu tomo Contracep e depois de 3 meses não tomei mais pois queria que a Minha menstruação descesse. Mais depois de dois meses fui a farmácia tomar novamente mais estava em falta até hoje, e durante esses dois meses eu mentruei um dia descia outro não sempre leve... Bom, tive relações sem camisinha e depois de duas semanas mais ou menos estou com meus seios todo levemente coloridos, não é no bico nos seios todos... Bom tenho uma filha de 3 anos e esses dias ela mamou puxando forte, será que pode ter sido isso ? E a Minha menstruação parou de descer já que descia dia sim e outro não estou preocupada, e está descendo uma secreção parecendo creme de leite.... É sintomas de doença ou pode ser gravidez ? Sendo que meu noivo é estéril ..... Não sei o que pode ser ! Me ajuda !

    ResponderExcluir
  99. Seus sintomas podem ocorrer em várias patologias:
    - Vaginite
    - Vulvovaginite
    - Gravidez
    - Infecção do colo uterino
    - Doenças sexualmente transmissíveis
    - Tensão pré-menstrual
    Sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  100. Ola... tenho 27anos tenho um filho de dois anos,com alguns sintomas parecido. Sinto dor nas costas ,dor de cabeça e na nuca,gases as vezes dor abdominal mas fraca,dor abaixo do estomago ou no estomago nao sei dzer,sinto umas palpitaçoes no corpo,menstruação esta correta sangramento vermelho vivo.. ja fiz exame de urina nao deu nada,fiz exame de gravidez duas vezes deu negativo estou com esses sintomas a 4meses... pode ser câncer de ovario. O que devo fazer?

    ResponderExcluir
  101. Seus sintomas são comuns há várias patologias: estresse, fibromialgia, enxaqueca, problemas de coluna e síndrome do cólon irritável. Sugiro que procure um reumatologista ou neurologista para que eles iniciem a investigação diagnóstica ou encaminhem a outro especialista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelass dicas... vou procurar um medico

      Excluir
  102. Ola bom dia estou muito preocupada,tenho 32 anos tenho filhos e sou operada há 4 anos,mas depois que operei para não ter mais filhos minha menstruação vinha intensa,tanto que tinha que usar fraldas,por 2 semanas,deu uma anemia muito grave,há 4 meses minha mentruação não veio mais e meus seios estão muito inchados e doloridos,sinto muvimentos do lado esquerdo proximo ao umbigo,esses movimentos são como de um bebê,e são todos os dias,não um dia sim e outro não,fui diretamente a minha médica e ela pediu um ultrasom,suspeitando de gravidez,mas chegando la fiz o ultarson obstetrico e não deu,ela pediu um transvaginal e deu uma alteração no ovario esquerdo como se tivesse num começo de gravidez,fiz 3 restes de farmacia e deram negativos,mas dos meus dois filhos anteriores também deram negativos,tanto que um deles eu só descobri que estava gravida com 5 meses,e também tinha feito o ultrason e não tinha aparecido,por favor me ajude o que esta acontecendo...Marquei minha consulta no posto de saúde e els vão ter sópara o m~es 9 até la não sei o que pode acontece??

    ResponderExcluir
  103. Olá, tenho 23 anos. E faz alguns meses comecei a sentir alguns desses sintomas, tais como inchaço, falta de apetite, e tenho tido bastante sangramento. Porém nunca tive relação sexual. Existe algum risco de mesmo assim eu ter câncer no ovário?

    ResponderExcluir
  104. Oi,boa noite! Ha dois anos na minha garavidez fiz 3ultrassom 1transvaginal para saber o sexo do bebe,1morfologico e o outro pra saber como o bebe estava. Gostsria de saber se com esses ultrsson se acaso tivese um cancer de ovario o medico conseguiria dectar um cancer de ovario... Obrigado

    ResponderExcluir
  105. Olá... Tenho 31 e não tenho filhos. na minha ultima ultra-transvaginal, constou que tenho um mioma de 6,5 cm e um cisto hemorrágico no ovário esquerdo de aproximadamente 2,8 cm. Dia 23-07 menstruei, e meu fluxo estava aumentado. Comecei a senti dores do lado esquerdo (aparentemente no ovário) Fui ao médico, porém só havia clinico geral na emergencia, ele me medicou e me receitou um anti-inflamatório pra tomar quando sentir dor, A dor continua, principalmente quando faço movimentos bruscos(tossir, espirrar, abaixar) e quando aperto o local. Minha duvida é posso aguardar minha consulta com a ginecologista(05-08), ou pode se algo grave?
    Desde ja grata pela atenção

    ResponderExcluir
  106. Apesar dos sintomas serem perfeitamente compatíveis com uma gravidez, é quase impossível de acreditar que poderia engravidar depois de 4 anos com laqueadura (existe uma chance sim, mas seria um caso raro), o mais provável é que seja somente uma alteração hormonal que tenha causados seus sintomas.

    ResponderExcluir
  107. O câncer de ovário aumenta sua incidência a partir dos 45 anos de idade e ocorre principalmente na menopausa. Um outro problema que encontramos no rastreamento do câncer de ovário é o fato de não ser tão freqüente. Estima-se que 1 em 69 mulheres possam desenvolver câncer de ovário durante a vida. Para se ter uma ideia, no caso do câncer de mama (mais comum nas mulheres), o risco é de 1 em 8 mulheres.

    ResponderExcluir
  108. O exame de ultra-sonografia transvaginal (USTV) é uma das principais ferramentas que dispomos para o diagnóstico do câncer de ovário. Muitas pacientes estão familiarizadas com o exame, pois já o realizaram em alguma época da vida.
    Por ser indolor, não invasivo e apresentar boa sensibilidade, é o método de imagem inicialmente escolhido para detectar as alterações do aparelho reprodutor feminino.

    ResponderExcluir
  109. Em caso de dor pode-se consultar um acupunturista ou procurar o pronto-socorro de acupuntura do SUS. O atendimento é no Hospital São Paulo.

    ResponderExcluir
  110. Olá,
    Tenho 34 anos e já tenho 2 filhos, em Janeiro tive uma dor horrível na pelve, vomito e tontura, a dor era tão forte que não conseguia nem mexer a minha perna direita. Quando dei entrada no hospital a principio me deram morfina para passar a dor e fui tratada com crise de cólica renal, apos os exames descobriram que era uma crise de cisto folicular.
    Como apos a medicação a dor passou e o cisto era pequeno e não tive sangramento fui liberada. Ao passar com meu médico fiz vários exames de sangue entre eles o CEA, CA19/9, CA125 e CA15/3 só o CEA não deu alterado, então tive que fazer vários exames, ressonância magnética de abdômen total e pelve, US das mamas,US do figado e vias biliares, endoscopia, colonoscopia e tomografia tórax e pelve....graças a Deus não deu nada nos exames.
    O problema é que nos novos exames de sangue o CA15/3 e CA19/9 continuam alterados.....hoje voltei a ter dores na pelve como se fosse uma cólica, a dor por enquanto esta tranquila e tomei o Feldene.
    O cisto folicular pode alterar esses marcadores ? Pq não sei mais o que pensar, pode ser câncer de ovário ou mamas ?

    ResponderExcluir
  111. Tomo anticoncepcional a quase um ano e minha última relação foi a dois meses.
    E justamente no dia da minha relação tive uma virose. Depois tive problemas de gastroenterite e infecção urinária. Cheguei a suspeitar que pudesse estar grávida, porém, nesses dois meses já menstruei duas vezes na data prevista e fiz o BETA HCG e deu Negativo.
    Só que estou preocupada.. sinto dores perto do ovário direito, dor e queimação na bexiga, dói na região do quadril, sinto náuseas, gases, arrotos e um monte de coisas mais..
    Por mais que ''não haja chances'' de gravidez, ainda sinto medo que seja isso ou alguma doença.. to com medo de ir ao médico.. o que pode ser?

    ResponderExcluir
  112. Olá, bom dia!
    Estou muito preocupada essas dias, pois, a minha mãe que tem 57 anos sente dores pélvicas a algum tempo ... mais ou menos 1 mês atrás ela fez uma ultra e constataram um cisto de 6,3 cm ... ontem ela repitiu a ultra e o cisto mais que dobrou de tamanho tem agora 13,6cm com e não tem aspecto líquido ... Minha pergunta é ... existe uma possibilidade grande desse cisto ser um câncer?

    ResponderExcluir
  113. Olá! Tenho cisto no ovário esquerdo e um no ovário direito com liquido estava tomando anticoncepcional pra tratamento ,tomei 5 meses e decidei parar e mestruei normal e agora vai fazer quase 2 meses que arrasou mas na semana passada tive um corrimento transparente com rosa claro e cheiro de sangue por quase 3 dias após ter dito relação com meu marido ,e agora sinto tipo cólicas leves,e vontade de comer coisas diferente,dor de cabeça e sinto minha barriga alta ,tenho medo de ser uma doença e penso em está grávida,ainda não fui ao medico e não quis ir fazer o exame de beta tenho medo de ser uma doença..

    ResponderExcluir
  114. Dra. qual exame devo pedir a minha ginecologista? Ja faz uns 40 dias que tive uma crise feia pensando eu que se tratava so de enxaqueca (tive tontura, vomitei bastante com muita dor de cabeça). Isso aconteceu no dia 29/06 e desde entao estou sentindo um inchaço muito grande na regiao abdominal, muito desconforto, com gases e dificuldade pra defecar, diariamente. Primeira vez que tudo isso acontece comigo, pois sempre fui muito saudavel. Acabei de completar 40 anos. Ja procurei Gastro e ele afirmou que nada tenho, mesmo assim fiz uma Ultrassom Abdominal Total que confirmou o diagnostico. Quero fazer uma Colonoscopia e Endoscopia mesmo assim. Ja fiz US Transvaginal onde so constam 3 miomas pequenos (1,4, 1,5 e 1,7cm) e tamanhos de ovarios normais. Fiz exame de sangue C T IGG sendo Reagente e C T IGM Nao Reagente. Mas o meu maior temor e ser cancer de ovario. Por favor, ajuda-me Dra..

    ResponderExcluir
  115. Marcadores Tumorais são substâncias que podem ser encontradas em quantidades acima do normal no sangue, urina ou tecidos do corpo de alguns pacientes com certos tipos de câncer. Um marcador tumoral pode ser produzido pelo próprio tumor ou pelo corpo, em resposta à presença do câncer.
    O CA-19-9 parece ser hoje um dos mais sensíveis e específicos marcadores usados para o diagnóstico diferencial do câncer de pâncreas e de vesícula, apresentando 79,4% de sensibilidade e 79,2% de especificidade quando maior que 20 unid/ml. Condições benignas como pancreatite e icterícia podem levar ao aumento dos níveis séricos (18%). A maioria dos pacientes com pancreatite tem valores séricos abaixo de 75 U/ml (96%). Os níveis séricos podem apresentar-se alterados também em pacientes com doenças como cirrose hepática, doenças intestinais inflamatórias e em condições auto-imunes como artrite reumatóide (33%), lúpus eritematoso sistêmico (32%) e esclerodermia (33%).
    O Ca 15-3 é um marcador que se eleva frequentemente no câncer de mama. Níveis elevados de CA 15-3 foram observados em várias outras neoplasias, tais como câncer de ovário, câncer de pulmão, câncer de cólon, hepatocarcinoma e linfomas. Níveis elevados de CA-15-3 são também observados em várias outras doenças, tais como hepatite crônica, tuberculose, sarcoidose, lúpus eritematoso sistêmico. Desta forma, devido à baixa especificidade e sensibilidade, o CA-15-3 não é recomendado para diagnóstico. A ASCO considera que atualmente não existem dados suficientes para recomendar o CA-15-3 para rastreamento, diagnóstico, estadiamento ou acompanhamento após tratamento primário do câncer de mama.

    ResponderExcluir
  116. Olá, meu nome é Vanessa tenho 15 anos, minha menstruação sempre veio regularmente mais de 2 meses pra cá ela não veio mais, sou virgem,porém, está vindo uma secreção amarela com mau cheiro durante o dia todo, e sinto muita dor abdominal, e ansiedade sou bem a cima do meu peso.. porém na infância tive problemas hormonais... o que poderia ser?

    ResponderExcluir
  117. Olá, tenho 15 anos e sou virgens e já tem um bom tempo que venho tendo corrimento vaginal, mas recentemente ele adquiriu um tom esverdeado, sem odor fetido devido ao fato de que comecei a utilizar sabonete intimo, e a menstruação completamente irregular, a última vez que menstruei foi em junho, estou apavorada e não tenho ideia do que fazer...

    ResponderExcluir
  118. Nas mulheres, problemas no ovário, como a presença de um cisto, são muito comuns. Seus sintomas podem ocorrer em patologias como apendicite e câncer de ovário. Sugiro que consulte uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  119. A presença de cistos no ovário, bastante comum, não deve ser motivo para pânico. O perigo só existe quando eles são maiores que 10 cm e possuem áreas sólidas e líquidas.

    ResponderExcluir
  120. Uma doença sinaliza a fragilidade da vida. Diante de um difícil diagnóstico, como um tumor, ou uma disfunção que nos obriga a uma vigilância constante, como a diabetes, o corpo e a mente são obrigados a se adaptar à nova condição. A certeza anterior de um organismo saudável, autossuficiente, entra em xeque.
    A fuga da realidade e a negação da doença também são exemplos de medo que podem prejudicar o tratamento. “É comum, por exemplo, após um infarto o paciente apresentar uma reação refratária aos fatos. Muitos não entendem os riscos”, diz o cardiologista Marcelo Sampaio, do Hospital Oswaldo Cruz, de São Paulo.
    Em casos mais sérios, o pânico pode impedir que o indivíduo procure ajuda. O fotógrafo Bruno Zanardo, 29 anos, de São Paulo, esteve perto disso. No final de 2010, ele foi levado a um hospital queixando-se de um mal-estar. Lá descobriu que sofrera um infarto silencioso e, como diabético, apresentava um quadro de acidose metabólica – quando o corpo passa a queimar gordura para obter energia, liberando ácidos tóxicos no corpo. Seus rins também estavam quase parando de funcionar. Bruno só recebeu ajuda porque cedeu à insistência da namorada, que notava que as coisas não iam bem. “Eu não queria saber detalhes, só queria trabalhar”, diz. “Não assumia que estava mal”, admite, hoje recuperado.
    Pense nisso!

    ResponderExcluir
  121. Os seguintes exames podem ajudar a diagnosticar a causa da prisão de ventre:
    Manometria anorretal (medição da pressão muscular no ânus e no reto)
    Enema de bário
    Hemograma completo
    Exames de coagulação do sangue (PT ou PTT)
    Colonoscopia
    Retossigmoidoscopia (um exame do intestino grosso)
    Exames de fezes
    Radiografias do abdome
    Usando o bio feedback, você aprende a normalizar o perfil de defecação.
    Se houver suspeita de endometriose, a Laparoscopia pode ou não demonstrar implantes na parede intestinal, mas o médico tem que saber onde procurar por eles. Se for endometriose, os implantes não podem ser detectáveis exceto no momento da cirurgia abdominal aberta. Diagnosticar a Endometriose intestinal é relativamente fácil.

    ResponderExcluir
  122. Tudo bem Vanessa?
    O corrimento vaginal anormal pode ser devido a:
    Câncer cervical ou vaginal (raramente uma causa de corrimento excessivo), de colo do útero ou de endométrio (revestimento uterino);
    Vaginite descamativa e líquen plano;
    Absorventes internos esquecidos ou corpo estranho;
    Corrimento vaginal pode indicar doenças infecciosas;
    Outras causas não infecciosas, tais como inflamação descamativa, atrofia vaginal ou alergias também causam corrimento vaginal.
    O risco de ocorrência de corrimento vaginal aumenta com certos medicamentos (antibióticos, corticosteroides, contraceptivos orais, quimioterápicos). Diabetes não tratada adequadamente, câncer e imunossupressão também são fatores contribuintes.
    Finalmente o tabagismo e a falta de estrógeno são fontes de recorrência.

    ResponderExcluir
  123. Nem sempre corrimento na região genital da mulher é sinal de problema. Desde que a secreção não venha acompanhada de coceira, cheiro ou dor na vagina, pode ser decorrente da ovulação. Mas, se houver outros sintomas associados, é preciso procurar um médico.
    A visita regular ao ginecologista, uma vez por ano no mínimo, é a melhor forma de prevenção do corrimento.

    ResponderExcluir
  124. Olá Marcia. Sempre que ovulo sinto dores nas costas na altura do ovario. Agora estou a 10 dias com a menstruação atrasada e imaginava estar grávida, fiz 3 tetes de farmacia e deram positivo. Fiz o exame de sangue e deu negativo. Mais o pior de tudo é que sinto dores nas iguais as que tinha no meu periode de ovulação, será que são sintomas de gravidez ou posso estar com algum problema mais sério?
    Grata pela sua ajuda.
    Adriana

    ResponderExcluir
  125. Os sintomas que você descreve lembram endometriose. Sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  126. Olá. Então, sou hipocondríaca e tenho problemas em ter doenças. Sinto medo de dores que eu sinto, medo de ser algo grave. Tive uma gravidez gemelar há 3 anos, tenho 20 anos e há algum tempo, venho sentindo umas dores vagas na região pélvica do lado esquerdo, onde se localiza o ovário e percebi minha urina turva, com odor forte, mas que vai clareando ao longo do dia. Fui ao ginecologista há uns dias atrás e pelo o que eu estou sentindo, ele receitou nimesulida e cefalexina. Estou tomando, e agora eu estou com neura de ter febre, todos os dias meço minha temperatura e ela fica em 37,3. Fico apreensiva e com medo de ter algo grave. Estou desesperada

    ResponderExcluir
  127. A ansiedade é um problema psicológico que se traduz por um sentimento de insegurança, ou, medo sem fundamento real. Todos nós somos ansiosos em determinado momento da vida sem que isso seja patológico. Existem, contudo diferentes graus de ansiedade. Em algumas pessoas, a ansiedade exprime-se por um sentimento de medo, inquietação, sensação de perigo iminente, (medo de insucesso, morte súbita, medo de perder o autocontrole, medo de ficar mentalmente desestabilizado). Em alguns casos, a ansiedade é acompanhada por algumas manifestações físicas, tais como, secura de boca, pulso acelerado, transpiração, opressão torácica, e vertigens. Nestes casos, chamamos-lhe angústia. É necessário saber que a ansiedade é no início, uma reação normal, um sinal de alarme do organismo perante certos acontecimentos da vida cotidiana. Se ela está controlada, a ansiedade atua, sobretudo como estimulante. As dificuldades da vida são habitualmente o fator desencadeante da ansiedade e, nos casos agudos, da angústia. Além disso, as dificuldades pessoais de inserção na sociedade, os conflitos interiores no domínio afetivo, emocional e sexual podem conduzir a uma sintomatologia ansiosa. A dor e o abuso de certas substâncias (café, chá, tabaco, álcool e drogas diversas) podem também desencadear episódios ansiosos.
    Que fazer quando está ansioso?
    • Alteração de hábitos de vida
    É necessário não esquecer que a ansiedade é um fenômeno universal, que faz parte da nossa existência. Frequentemente, simples medidas de higiene de vida e a mudança de hábitos cotidianos, podem diminuir ou mesmo eliminar as reações ansiosas. Reconsidere o seu modo de vida.
    • Espreguiçar
    Em vez de contar com o café para acordar, dedique alguns momentos a uma série de pequenos exercícios, que acabarão com a lassidão matinal, permitindo um relaxamento muscular, o que contribui para um bom início do dia. Espreguice-se lentamente até se aperceber de uma agradável sensação de relaxamento muscular. Pode distender os músculos até sentir um ligeiro incómodo, mas nunca até à dor. Mantenha a distensão 10 a 30 s, pare e recomece de novo, 2 a 3 vezes.
    • Massagem
    A automassagem estimula e contribui para dissipar a fadiga do início do dia. Comece por estimular o couro cabeludo, agarrando num punhado de cabelos em cada mão e puxando durante 5 s, até que todo o seu couro cabeludo esteja estimulado. Feche a mão, mas não com força, e bata ligeiramente em todas as partes acessíveis do seu corpo, à exceção da coluna vertebral.
    • Relaxamento
    Consiste numa contração sistemática dos principais músculos do corpo, seguida de uma distensão. O efeito calmante é muito rápido: 10 a 20 minutos
    - Instale-se num lugar tranquilo, descalço e vestido confortavelmente.
    - Deite-se de costas, braços ao longo do corpo e com as palmas das mãos viradas para cima.
    - Inspire profundamente, retenha a respiração durante alguns segundos e expire lentamente.
    - Contraia com a maior força possível os músculos da cara durante 5 segundos.
    - Faça o mesmo com os músculos dos ombros, dos braços, das mãos, até aos dedos dos pés.
    - Finalmente permaneça imóvel durante alguns minutos imaginando algo de agradável.
    • Sono
    Alguns pequenos “truques” para melhor adormecer:
    - Evite os excitantes á noite, coma um jantar leve e não muito tarde.
    - A leitura é frequentemente um bom meio para relaxar desde que esteja confortavelmente instalado: sentado, apoiado nas costas, pescoço e cabeça.
    - Se acordar com dores nas costas, durma de costas com uma almofada debaixo dos joelhos e com uma toalha enrolada apoiando o pescoço.
    - Adote uma posição cômoda para dormir; deite-se de lado coluna vertebral e pescoço direitos, cotovelos joelhos e fletidos.
    Por outro lado concentrar o seu interesse sobre algo preciso, pode ajudá-lo a eliminar um episódio ansioso.

    ResponderExcluir
  128. oi. cinto muitas dores no pé da barriga bem abaixo do umbigo no lado esquerdo ,essas dores são tao forte e constantes que nao consigo manter relação com meu esposo chega a dar câimbras na minhas pernas e em determinada posição sinto um caroço o que pode ser?

    ResponderExcluir
  129. Tenho 17 anos e possuo a Síndrome dos Ovários Policísticos, faz uns 5 meses que não menstruo (tenho ciclo desregulado mesmo) e ultimamente tenho sentido dor e desconforto abdominal, gases, enjoos (não chego a vomitar), dores de cabeça, urino frequentemente, meu intestino esta desregulado e tenho tido muito apetite. Na maioria dos dias sinto muito cansaço, um sono incontrolavel acompanhado de stress e muita sensibilidade emocional... O que pode ser? Obrigada desde já.

    ResponderExcluir
  130. Sugiro que se consulte com uma ginecologista para ter um diagnóstico.

    ResponderExcluir
  131. O aumento do apetite costuma acompanhar quem tem Síndrome dos Ovários Policísticos. Desconforto abdominal, flatulência (gases), náuseas, dor de cabeça, aumento da frequência urinária, cansaço e sono excessivos, estresse e aumento da labilidade emocional podem acompanhar várias patologias. Sugiro que comunique o médico que acompanha a Síndrome ovariana para que ele comece a investigá-los ou encaminhe-a para outros especialistas.

    ResponderExcluir